Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão de miRNAs na toxoplasmose ocular

Processo: 18/09448-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunogenética
Pesquisador responsável:Luiz Carlos de Mattos
Beneficiário:Geraldo Magela de Faria Junior
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/05581-8 - Técnicas de genotipagem para estudo epidemiológico e populacional do Toxoplasma gondii, BE.EP.DR
Assunto(s):Oftalmologia   Toxoplasmose ocular   MicroRNAs   Toxoplasma gondii

Resumo

Toxoplasmose é uma doença endêmica em todo o mundo e responsável por diversas morbidades tanto em humanos quanto em animais. Tem emergido como uma das infecções oportunistas mais comuns em pacientes imunocompetentes e pode ser fatal ao feto. A infecção por Toxoplasma gondii, o agente etiológico da toxoplasmose, resulta na indução de respostas imunes (inata e adaptativa) com consequente produção de citocinas, anticorpos e ativação de linfócitos T (CD8, CD4-TH1, CD4-TH2, B). microRNAs (miRNAs) são moléculas de RNAs não-codificadoras que possuem 21-25 nucleotídeos e tem como função regular negativamente a expressão gênica. O objetivo geral deste projeto é Investigar os níveis de expressão de microRNA (miRNAs miR-712-3p, miR 511-5p, miR-217-5p, miR 9-2) em pacientes com lesão ativa e cicatriz resultante da infecção por T. gondii. Seus objetivos específicos compreendem: 1- Selecionar três grupos assim constituídos: Grupo 1 (G1): pacientes com lesão ocular ativa e sorologia reagente; Grupo 2 (G2): pacientes com cicatriz ocular e sorologia reagente; Grupo (G3): pacientes sem lesão ou cicatriz ocular decorrentes da toxoplasmose, com sorologia reagente. 2- Verificar a presença de anticorpos anti-T.gondii de classes IgM e IgG no soro desses pacientes como identificadores de infecção aguda e crônica; 3- Extrair e quantificar os miRNAs miR-712-3p, miR 511-5p, miR-217-5p e miR 9-2 nos três grupos de pacientes; 4 - Relacionar a presença de lesão ocular e sua atividade bem como a cicatriz ocular com os níveis de expressão dos miRNAs acima referidos. Serão selecionados três grupos de pacientes atendidos no Ambulatório de Retinopatia do Hospital de Base (FUNFARME) caracterizados da seguinte forma: Grupo 1 (G1) pelo menos 100 pacientes independentes de etnia, consecutivos, que apresentarem lesão ativa e sorologia reagente para toxoplasmose ocular. Grupo 2 (G2) pelo menos 100 pacientes que apresentarem sorologia reagente e cicatriz ocular; Grupo 3 (G3) pelo menos 100 pacientes com sorologia reagente e sem lesão ou cicatriz ocular decorrentes da toxoplasmose. Para a análise sorológica será realizado o teste imunoenzimático ELFA. Para análise da expressão dos microRNAs específicos por PCR quantitativa em Tempo-Real (qRT-PCR). As variáveis quantitativas serão descritas por média, mediana e desvio padrão. Para verificação da acurácia da utilização dos miRNAs para o diagnostico de infecção por T.gondii será utilizada a curva ROC. Será considerado um intervalo de confiança (IC) de 95,0% e as diferenças serão consideradas estatisticamente significantes quando o valor p for d 0,05. Os resultados poderão contribuir para a compreensão da patogênese da toxoplamose ocular.