Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da microbiota urinária de pacientes com Câncer superficial de bexiga submetidos a imunoterapia com BCG

Processo: 18/13996-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Anamaria Aranha Camargo
Beneficiário:Vitor Heidrich
Instituição-sede: Hospital Sírio-Libanês. Sociedade Beneficente de Senhoras (SBSHSL). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Metagenômica   Neoplasias urológicas   Microbiota   Sistema urinário   Imunoterapia   Mycobacterium bovis

Resumo

O Carcinoma Urotelial de Bexiga não músculo-invasivo corresponde a 70-80% de todos os diagnósticos iniciais de Câncer de Bexiga. Seu tratamento padrão é a ressecção transuretral da lesão, seguida de imunoterapia intravesical com BCG. Os benefícios clínicos do tratamento com BCG são amplamente comprovados. Entretanto, apenas 50% dos pacientes tem benefício duradouro e os demais apresentam recidiva ou progressão da doença após o tratamento. Além disso, devido à manifestação de efeitos adversos locais e sistêmicos, entre 5 e 20% dos pacientes tratados com BCG apresentam intolerância à terapia durante suas diferentes fases. Desta maneira, a identificação de biomarcadores preditivos de benefício clínico e de toxicidade ao tratamento com BCG é imprescindível para uma abordagem personalizada do Câncer de Bexiga. Estudos recentes ressaltam a relevância da composição da microbiota intestinal para a eficácia da imunoterapia com inibidores de checkpoint imune em pacientes com Câncer e a sua associação com a manifestação de efeitos adversos ao tratamento, salientando a possibilidade de usá-la como biomarcador preditivo de resposta e toxicidade a estes tratamentos. Interessantemente, não existem relatos avaliando a composição da microbiota urinária em pacientes com Câncer de Bexiga, tampouco existem estudos associando a composição da microbiota urinária de pacientes submetidos à imunoterapia com BCG com a ocorrência de efeitos colaterais ou o desfecho clínico do tratamento. Neste projeto, pretendemos caracterizar a microbiota urinária de pacientes com Câncer superficial de bexiga através de análises metagenômicas de amostras urinárias e avaliar a associação entre a sua composição, a ocorrência de efeitos adversos e o benefício clínico à terapia adjuvante com BCG. Isto permitirá a identificação de biomarcadores de toxicidade e preditivos de benefício clínico para guiar a escolha do tratamento nos pacientes com Câncer superficial de bexiga. Esses estudos podem, ainda, propiciar uma compreensão mais profunda do, ainda não totalmente elucidado, mecanismo de ação do BCG, possibilitando o desenvolvimento de novas abordagens terapêuticas. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.