Busca avançada
Ano de início
Entree

Controle Biorracional de Insetos Pragas

Processo: 18/16040-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Convênio/Acordo: CNPq - INCTs
Pesquisador responsável:Antonio Gilberto Ferreira
Beneficiário:Flavio Vinicius Crizostomo Kock
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50918-7 - INCT 2014: para o Controle Biorracional de Insetos Pragas e Fitopatógenos, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):19/14770-9 - Estudo das interações intermoleculares entre agroquímicos e materiais orgânicos e pequenos organismos vivos por técnicas avançadas de ressonância magnética nuclear, BE.EP.PD
Assunto(s):Produtos naturais   Agronomia   Inseticidas biológicos   Fungos   Fitopatógenos   Insetos

Resumo

O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para o Controle Biorracional de Insetos Pragas (INCT-CBIP) foi fundado em dezembro de 2008 e está envolvido em Ensino, Pesquisa, Inovação e Extensão, orientado para a formação de pesquisadores qualificados e para a geração de conhecimento e de produtos agroquímicos através das seguintes linhas de pesquisa: i) Produtos naturais como fontes de novos pesticidas; ii) Modificações semissintéticas; iii) O modo de ação de pesticidas sintéticos e naturais por inibição de enzimas: enzimas imobilizadas em reatores; iv) A nanotecnologia para melhorar a atividade, solubilidade e estabilidade; v) As doenças cítricas e mecanismos de resistência. O INCT-CBIP tem conseguido atender às várias necessidades do produtor, fornecendo soluções de gestão de pragas específicas, as quais levam à competitividade, à produção agrícola sustentável e gestão ambiental. No entanto, devido ao clima tropical o número de insetos na agricultura brasileira é muito grande e, portanto, o desafio continua. O número de insetos e microrganismos que o INCT-CBIP foi capaz de avaliar é pequeno em comparação com o total de pragas em nossa agricultura. Muitas espécies de pragas são excepcionalmente bem equipadas para responder às pressões ambientais por causa de seu tempo curto de geração e grande potencial reprodutivo. O uso de sprays químicos para controlar as doenças causadas por insetos e fungos constitui um potente stress ambiental. Hoje temos muitos exemplos de pragas que desenvolveram resistência a um ou mais pesticidas. Além disso, são poucos os novos pesticidas desenvolvidos e comercializados para os insetos e microrganismos, isto devido ao alto custo para a sua descoberta e a exigência de anos de pesquisas contínua e pesada. Devido a estes desafios, os pesquisadores precisam considerar todas as rotas possíveis para se desenvolver novos pesticidas - Por esta razão, fortemente defendemos a expansão das pesquisas do nosso INCT-CBIP. Assim, o novo INCT para o Controle Biorracional de Inseto Pragas e Fitopatógenos (INCT-CBIPF) pretende desenvolver estratégias para o controle de alguns insetos pragas da soja, maracujá e patógenos de citros, bem como ampliar os estudos com algumas pragas já avaliadas no INCT em andamento. O novo INCT será expandido a uma rede internacional e pretende continuar com as linhas de pesquisa acima (i-v), ampliando-as e inovando com tecnologias atuais. Em estudos de manejo de insetos pragas pretendemos desenvolver estratégias para o controle integrado de pragas da soja. Nos insetos, os microrganismos que vivem em seu trato intestinal podem desempenhar vários papéis, entre eles auxiliando na conversão de substratos ingeridos aos nutrientes que são necessários para as suas várias fases de desenvolvimento até seu estágio adulto e reprodutivo. A inibição da ação de microrganismos endosimbionte pode ser uma rota alternativa para o controle seletivo e eficiente de insetos herbívoros, assim, vamos explorar também esta nova metodologia. O modo de ação de pesticidas naturais e sintéticas, através da inibição de enzimas será expandido: às enzimas xantina oxidase, butirilcolinesterase, catepsina; aos estudos de interações ligante-alvo por espectroscopia de ressonância magnética nuclear; aos estudos genéticos de catepsina e sintase de quitina de formigas. Nos estudos sobre doenças de citros iremos avaliar novos fitopatógenos, e também propomos a aumentar o acumulo de flavonoides nos tecidos de citros, através da superexpressão transgênica de dois fatores de transcrição, prováveis ativadores da via metabólica de flavonoides. Casca de laranja representa uma promissora fonte de flavonoides e um milhão de toneladas de resíduos de casca são geradas como resultado de processamento da fruta. O conceito de biorrefinaria integra condições para a conversão de biomassa em vários produtos de valor agregado, assim, essa tecnologia será usada para a extração de flavonoides a partir de resíduos de citros.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
KOCK, FLAVIO V. C.; ROCHA, TAINARA C.; ARAUJO, GABRIELA M.; SIMOES, FABIO R.; COLNAGO, LUIZ A.; BARBOSA, LUCIO L. Time-domain NMR: A novel analytical method to quantify adulteration of ethanol fuel with methanol. FUEL, v. 258, DEC 15 2019. Citações Web of Science: 0.
CRIZOSTOMO KOCK, FLAVIO VINICIUS; COSTA, ANALU ROCHA; DE OLIVEIRA, KATIA MARA; BATISTA, ALZIR AZEVEDO; FERREIRA, ANTONIO GILBERTO; VENANCIO, TIAGO. A Supramolecular Interaction of a Ruthenium Complex With Calf-Thymus DNA: A Ligand Binding Approach by NMR Spectroscopy. FRONTIERS IN CHEMISTRY, v. 7, NOV 8 2019. Citações Web of Science: 0.
CRIZOSTOMO KOCK, FLAVIO VINICIUS; HIGUERA-PADILLA, ANGEL RUBEN; SANTOS VIGATTO, MAIARA DA SILVA; MARTIN NETO, LADISLAU; COLNAGO, LUIZ ALBERTO. Magnetic resonance studies of copper (II) sorbitol complex, in solution, reveal a supramolecular structure compatible to the crystal structure. Magnetic Resonance in Chemistry, v. 57, n. 7, p. 404-411, JUL 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.