Busca avançada
Ano de início
Entree

Isolamento e caracterização enzimática de uma Fosfolipase A2 presente no veneno do SAPO Rhinella schneideri

Processo: 18/12026-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Eliane Candiani Arantes Braga
Beneficiário:Elisa Naomi Suzuki de Andrade Loureiro
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Rhinella schneideri   Fosfolipases A2

Resumo

A família de sapos Bufonidae, a qual pertence a espécie Rhinella schneideri, é considerada a que possui o veneno mais tóxico entre os anuros. Sua toxicidade depende de diversos componentes presentes nas secreções mucosas e granulosas. As glândulas mucosas estão mais relacionadas à hidratação da pele do sapo, impedindo seu ressecamento, atuando também nas trocas gasosas. Além disso, estudos indicam que a secreção obtida desse tipo de glândula está relacionada ao controle da proliferação de micro-organismos em sua epiderme. Já as secreções obtidas das glândulas granulosas, estão relacionadas, principalmente, à defesa contra predadores. A secreção mucosa de sapos é composta, em sua maioria, de aminas biogênicas e derivados de esteroides. Porém, estudos atuais indicam também a presença outros componentes, como fosfolipase A2 (PLA2), na secreção das glândulas mucosas de R. scnheideri e que são semelhantes às encontradas na peçonha de serpentes. Dentre outras funções, as PLA2s de peçonha de serpentes são capazes de induzir a formação de edema e possuem atividades miotóxica e antimicrobiana. Visto que ainda não há estudos sobre PLA2 no veneno da espécie Rhinella schneideri, este projeto tem como objetivo a caracterização estrutural desta enzima e a determinação de suas possíveis funções no envenenamento a partir de ensaios funcionais. A enzima será isolada por procedimentos cromatográficos, a partir da secreção mucosa de R. schneideri, e a sua estrutura será analisada por sequenciamento amino-terminal e ensaios de espectrometria de massas. A ação antimicrobiana da PLA2 será avaliada através da concentração inibitória mínima em bactérias Gram negativas, Gram positivas e levedura. Este projeto ampliará o conhecimento sobre a composição deste veneno e sobre as características moleculares e funcionais desta enzima.