Busca avançada
Ano de início
Entree

Genes codificadores de enterotoxinas e de resistência a antimicrobianos em estafilococos coagulase positiva isolados de queijos minas artesanal, comercializados em São Paulo

Processo: 18/17862-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Bernadette Dora Gombossy de Melo Franco
Beneficiário:Karina Ghougassian Barrionuevo
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07914-8 - FoRC - Centro de Pesquisa em Alimentos, AP.CEPID
Assunto(s):Microbiologia   Anti-infecciosos   Enterotoxinas   Virulência   Segurança alimentar   Qualidade dos alimentos   Maturação de alimentos   Queijo

Resumo

O queijo minas artesanal é um dos inúmeros tipos de queijos produzidos em Minas Gerais. Por ser produzido com leite cru, cultura lática natural e sem tratamento térmico, pode apresentar riscos à saúde e de qualidade quando as Boas Práticas de Ordenha e de Fabricação não são seguidas e o tempo de maturação é insuficiente para garantir a segurança microbiológica. A fiscalização da produção e comercialização de queijos artesanais deve seguir numerosas legislações controversas, de âmbito municipal, estadual e federal, com inúmeras lacunas, que resultam na comercialização de produtos inadequados que podem colocar em risco a saúde do consumidor, comprometendo todo o setor produtor. Considerando que os microrganismos patogênicos de maior relevância nesses produtos são os estafilococos coagulase positiva, este plano de pesquisa de IC visa avaliar a virulência das cepas isoladas de amostras de queijos minas artesanal, adquiridas em São Paulo, como parte de um projeto maior sobre segurança e qualidade de queijos artesanais em andamento no Food Research Center (CEPID-FAPESP). A virulência será avaliada através da pesquisa da presença de genes associados com a produção de enterotoxinas (sea, seb, sec, sed, see, seg, seh, sei e sej) e com a resistência a antimicrobianos (mecA, tetK e aacA-aphD). Para o estudo será empregada a técnica de PCR (Reação em Cadeia da Polimerase).