Busca avançada
Ano de início
Entree

Elastografia ARFI dos tecidos hepático e esplênico de pacientes caninos afetados pela síndrome braquicefálica

Processo: 17/24809-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Paola Castro Moraes
Beneficiário:Andréia Coutinho Facin
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/07087-0 - Correlação entre estenose de narina e densidade tecidual em cavidade nasal de cães braquicefálicos avaliados por meio de tomografia computadorizada e rinoscopia, BE.EP.MS
Assunto(s):Clínica de pequenos animais   Síndrome braquicefálica

Resumo

Já considerada questão de bem estar animal, a síndrome braquicefálica é comum na rotina clínico cirúrgica de pequenos animais e tem recebido atenção pública nos últimos anos. Com resultados cirúrgicos positivos, a síndrome braquicefálica pode ser amenizada, porém pouco se sabe a respeito dos efeitos sistêmicos causados quando o procedimento cirúrgico não é realizado de forma precoce. Esta síndrome é comparada à síndrome da apneia obstrutiva do sono (AOS) em humanos, sendo que ambas são consideradas como causas de disfunções sistêmicas e metabólicas. Devido à crescente preocupação da medicina humana em relação à injúria hepática dos pacientes afetados pela AOS e, dada a falta de estudos dos efeitos da síndrome braquicefálica nos cães, este estudo preliminar objetiva avaliar a repercursão da síndrome braquicefálica no parênquima hepático e esplênico de cães braquicefálicos não operados. A metodologia será realizada com base em elastografia ARFI com a utilização do aparelho ACUSON S2000/SIEMENS, com transdutores multifrequenciais convexo e linear, e softwares específicos, além de avaliação clínica da síndrome braquicefálica, de forma a definir se estes podem ser utilizados como forma prognóstica da síndrome. Serão selecionados pacientes com idade entre 1 a 8 anos, sendo 15 pacientes das raças buldogue frânces e 15 pugs, saudáveis e que não foram submetidos a qualquer procedimento cirúrgico para correção de um ou mais componentes da síndrome, e 15 pacientes serão dolicocefálicos hígidos, com estatura corporal semelhante as raças braquicefálicas utilizadas e peso corporal máximo de 15 kilogramas.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.