Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolução heterotópica dos nectários florais em Apocynaceae e suas implicações na polinização

Processo: 18/09200-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Pesquisador responsável:Diego Demarco
Beneficiário:Natalie Do Valle Capelli
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Anatomia vegetal   Apocynaceae   Néctar de plantas   Polinização

Resumo

Quando analisamos as diferentes síndromes de polinização, percebemos que o néctar é, na grande maioria dos casos, o recurso mais importante para as plantas polinizadas por animais. Isso confere uma grande importância aos dados de ocorrência, posição e estrutura dos nectários para análises comparativas, visando acessar as relações entre os diferentes grupos de plantas. Eles podem ocorrer em todas as partes da flor e produzir muitos tipos de exsudatos açucarados. Dentre as diversas famílias de plantas que possuem nectários florais, Apocynaceae destaca-se por possuí-los em diversas posições e com diferentes estruturas e estratégias de liberação e armazenamento do néctar, sendo um bom modelo para o estudo da evolução desta glândula em relação à diversificação da família, visto que a sua filogenia já está bem resolvida e sustentada em relação a muitos de seus táxons infrafamiliares. A maioria das espécies da família possui nectários que podem ocorrer como protuberâncias ovarianas, um anel receptacular ou lobos ao redor do ovário, possíveis pistilódios transformados em nectários ou ainda como um tecido epidérmico no tubo dos filetes ou na corona. Além disso, o néctar pode ser apresentado na superfície do próprio nectário ou ser transferido para porções da corona que funcionam como contentores de néctar (apresentação secundária), estando diretamente relacionado ao mecanismo de polinização da espécie. Para se averiguar a origem dos nectários e a sua possível transferência de verticilo, a estrutura dos nectários e a vascularização floral de 32 gêneros pertencentes às cinco subfamílias, serão analisados. Com base nas filogenias mais recentes, será realizada a reconstrução dos estados de caráter ancestrais da glândula para se verificar em que grupo ocorreu a alteração heterotópica dos nectários e sua implicação nos mecanismos de polinização. Amostras a serem utilizadas serão provenientes de herbário e o material será processado seguindo-se as técnicas usuais de inclusão em historresina. Adicionalmente, o néctar de dez espécies pertencentes às diferentes subfamílias será quimicamente analisado para se verificar as alterações metabólicas que ocorreram ao longo da evolução da glândula na família. Esse amplo estudo nunca foi realizado para a família e poderá trazer importantes resultados para se compreender a diversificação das flores mais complexas das eudicotiledôneas e com a maior diversidade de glândulas das angiospermas. (AU)