Busca avançada
Ano de início
Entree

Validação do Quality of Dying and Death Questionnaire (QoDD) para a Língua Portuguesa (Brasil)

Processo: 18/08929-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Bianca Sakamoto Ribeiro Paiva
Beneficiário:Tais Cruz de Melo
Instituição-sede: Hospital do Câncer de Barretos. Fundação Pio XII (FP). Barretos , SP, Brasil
Assunto(s):Medicina paliativa   Neoplasias   Qualidade de vida   Adaptação cultural   Tradução   Validação   Psicometria   Inquéritos e questionários   Estudos transversais

Resumo

Existe uma preocupação importante com a qualidade de vida das pessoas acometidas pelo câncer, uma vez que não só a doença, mas principalmente o tratamento podem ter interferências na vida destas. Observa-se ainda um avanço nas pesquisas e avaliações rotineiras da qualidade de vida dos pacientes, mas tão pouco se tem abordado a questão da qualidade de morte e mudanças na prática clínica para uma morte digna no Brasil. Qualidade de morte tem sido atribuída diretamente à necessidade de ausência de dor no período de fim de vida. Há um consenso, entretanto, de que é mais do que o controlar sintomas físicos como a dor, mas sim múltiplas dimensões inerentes à este processo, como o familiar, religioso e cultural. Apesar da temática tão importante, no Brasil não existe um instrumento para avaliarmos a qualidade de morte. O Quality of Dying and Death Questionnaire (QoDD) é uma medida objetiva para esta avaliação e pode tornar-se útil na prática clínica. É um instrumento de avaliação composto por seis domínios conceituais: sintomas e cuidados pessoais, preparação para a morte, momento da morte, família, preferências de tratamento e preocupações gerais, abrangendo 31 aspectos que atualmente possuem 40 itens. É o mais utilizado no mundo para avaliação de Qualidade de Morte e ainda não foi validado para uso na população brasileira. Objetivo: Validar o Quality of Dying and Death Questionnaire (QoDD) para aplicação na população brasileira. Materiais e métodos: Estudo descritivo, transversal e metodológico (validação de instrumento de avaliação). Está sendo desenvolvido em três etapas complementares. O processo de validação foi autorizado pela autora original do QoDD, Dra. Lois Downey, da University of Washington (USA). Etapa II: Tradução e adaptação transcultural do QoDD seguindo a metodologia de Beaton e colaboradores: tradução, síntese, retrotradução ("back translation"), revisão por um comitê de especialistas e pré-teste (participantes contatados de 4 a 12 semanas após o óbito do paciente com câncer), processo este já realizado em um primeiro projeto de pesquisa; e Etapa III (metodologia deste projeto de pesquisa): Avaliação das propriedades psicométricas do QoDD por meio da confiabilidade da versão traduzida e adaptada do QoDD, verificando a estabilidade e consistência interna, a validade construto por meio da análise de grupos conhecidos e adicionalmente uma análise fatorial exploratória. Resultados parciais: O QoDD foi traduzido da língua inglesa para a língua portuguesa por dois tradutores (T1 e T2) independentes, com avançado conhecimento da língua inglesa. Na sequência realizou-se os processos de síntese das traduções, retrotradução e adaptação cultural do questionário. A avaliação pelo comitê de especialistas resultou uma média 0,8 de concordância em relação as equivalências semântica, cultural e conceitual. Participaram do pré-teste 28 cuidadores familiares, não foram identificadas dúvidas relacionadas ao instrumento, sendo que 75% (21) dos participantes apresentaram uma concordância de 100% na fase pré-teste. Desta forma, o QoDD encontra-se adaptado culturalmente e segue o processo de avaliação das propriedades psicométricas para validar o questionário.