Busca avançada
Ano de início
Entree

Qualidade de vida de famílias que tem filhos com Síndrome de Rubinstein-Taybi no Brasil

Processo: 18/10255-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Débora Gusmão Melo
Beneficiário:Amanda Rodrigues Vale
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Relações familiares   Síndrome de Rubinstein-Taybi

Resumo

A síndrome de Rubinstein-Taybi (RSTS) é uma doença genética rara com incidência estimada em 1:100.000 a 125.000 nascidos vivos, caracterizada por deficiência intelectual, baixa estatura e dismorfias típicas. Este projeto pretende investigar o impacto da RSTS na qualidade vida de famílias brasileiras. Essa é uma pesquisa descritiva e transversal que será desenvolvida com o apoio formal da Associação Brasileira dos Familiares e Amigos dos Portadores da Síndrome de Rubinstein-Taybi (ARTS-Brasil). Serão convidadas a participar da pesquisa todas as famílias que têm filhos com RSTS e estão vinculadas à ARTS-Brasil. Ao concordar em participar, um dos membros da família (preferencialmente a mãe) deverá preencher o formulário de "perfil sociodemográfico familiar", o formulário de "perfil da pessoa com RSTS" e os índices de funcionalidade de Barthel e Lawton & Brody, além da "Escala de Qualidade de Vida Familiar do Beach Center" (Beach Center Family Quality of Life Scale, BCFQOLS). A BCFQOLS é uma escala específica para avaliar qualidade de vida de famílias que têm um membro com deficiência. Ela é composta por 25 itens, divididos em 5 domínios (cuidados dos pais com os filhos, interação familiar, bem-estar emocional, bem-estar físico/material e apoio ao deficiente), e foi recentemente validada para língua portuguesa. Analisaremos a correlação entre os diferentes domínios da BCFQOLS entre si e com o nível de qualidade de vida familiar geral (que corresponde à somatória dos 5 domínios da BCFQOLS), e investigaremos a influência de fatores socioambientais e de fatores pessoais dos indivíduos com RSTS sobre a qualidade de vida familiar. Em todas as análises estatísticas o nível de significância adotado será de 5%. Em última instância, pretendemos que esse estudo sirva de subsídio para construção de uma linha de cuidado integral para pacientes com doenças genéticas no SUS, em consonância com a Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.