Busca avançada
Ano de início
Entree

Bactérias promotoras do crescimento vegetal no desenvolvimento de Panicum maximum cv. Zuri

Processo: 18/13378-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Pastagens e Forragicultura
Pesquisador responsável:Cecilio Viega Soares Filho
Beneficiário:Gustavo Henrique Frazile José
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Nutrição vegetal   Forragicultura   Pastagens   Produção animal   Crescimento vegetal   Nitrogênio   Pseudomonas fluorescens   Azospirillum brasilense   Panicum maximum   Delineamento experimental

Resumo

O uso de estratégias alternativas que promovam melhorias na produção animal, especialmente manejos que associam sustentabilidade com rentabilidade, deve-se dar prioridade. Assim, o uso de bactérias promotoras de crescimento e fixadoras de nitrogênio em gramíneas forrageiras pode ser uma alternativa importante de manejo nos dias atuais para a melhoria na produção da pastagem e, consequentemente, a produção animal. Com o objetivo de avaliar a nutrição, desenvolvimento, composição bromatológica e produção do Panicum maximum cv. BRS Zuri submetido à inoculação com bactérias diazotróficas associativas em Argissolo. O experimento vai ser conduzido em condições de campo, em Araçatuba-SP. O delineamento será em blocos casualizados, constituído por onze tratamentos, e quatro repetições sendo a composição das estirpes AB-V5 e AB-V6 de Azospirillum brasilense, Pseudomonas fluorescens CNPSo 2719 e a composição da Azospirillum brasilense AB-V6 e Rhizobium tropici CIAT 899, controle (sem nitrogênio (N) e sem inoculação), com adubação completa e sem inoculante, combinação de N mais a inoculação com estirpes e a combinação do N mais inoculação associada com a re-inoculação na parte aérea a cada corte. Cada parcela será constituída de 12 m2, totalizando 44 parcelas. As variáveis a serem analisadas serão altura das plantas, número de perfilhos, massa seca de forragem, teor de clorofila, relação folha/colmo, relação parte aérea/raiz, massa seca de raízes, teores de macro e micronutrientes foliares, e os teores de PB. O trabalho multidisciplinar deve permitir observar que a eficiência de produção de forragem com alta qualidade nutricional e um bom manejo racional das pastagens, é fundamental para garantir a produção animal, bem como persistência do pasto e a mitigação de gases de efeito estufa.