Busca avançada
Ano de início
Entree

Validação de método para determinação de elementos traço em urina para avaliação ocupacional de trabalhadores de fundição

Processo: 17/20914-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Bruno Lemos Batista
Beneficiário:Bruna Moreira Freire
Instituição-sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/05151-0 - Arsênio e arroz: monitoramento e estudos de (bio)remediação para segurança alimentar, AP.JP
Assunto(s):Urina   Metais

Resumo

Os elementos traço classificam-se em essenciais e não essenciais. Os primeiros são necessários para o funcionamento do organismo. Os não essenciais, além de desnecessários, são potencialmente tóxicos. A exposição ocupacional à esses elementos pode causar inúmeros danos aos trabalhadores, e esse risco torna necessário o desenvolvimento de técnicas para o monitoramento de suas concentrações em amostras biológicas. A Espectrometria de Massas com Plasma Indutivamente Acoplado (ICP-MS) é uma técnica analítica de alta sensibilidade, precisão e confiabilidade, que permite uma análise rápida e multielementar, sendo ideal para a análise de metais em amostras clínicas. Há diversos estudos da aplicação do ICP-MS na análise de sangue, plasma e urina. A urina, de acordo com a NR 7, é o fluido biológico mais apropriado para a análise de Arsênio, Cádmio, Chumbo, Cromo e Mercúrio. Há estudos da aplicação do ICP-MS para determinação de outros metais em urina, como por exemplo Ferro, Cobre, Zinco, Selênio, Cálcio, Magnésio, Alumínio, Bário, Berílio, Cobalto, Césio, Manganês, Níquel, Platina, Antimônio, Estanho, Telúrio e Urânio. Nesses estudos, as amostras são tratadas com diluição simples e injeção direta no ICP-MS. O objetivo desse projeto é o desenvolvimento, validação e aplicação de um método para determinação de elementos traço em urina de trabalhadores via ICP-MS. Com isso, é possível investigar uma possível relação entre a concentração dos metais na urina dos trabalhadores e a exposição ocupacional, bem como determinar as possíveis fontes de contaminação e deficiências de elementos essenciais. Para o desenvolvimento do método, serão avaliados os seguintes parâmetros: diluição da amostra, otimização das variáveis do ICP-MS, avaliação do uso de padrões internos e avaliação da calibração em meio aquoso ou por ajuste de matriz. O método desenvolvido será validado através do estudo de linearidade, limites de detecção e quantificação, repetibilidade, reprodutibilidade, precisão e exatidão. Participarão do estudo trabalhadores do ramo de fundições de metais ferrosos e não ferrosos. Estes deverão coletar a urina em frascos livres de metal, no período da manhã, e armazená-la sob refrigeração. A urina coletada será diluída em meio ácido e analisada por ICP-MS.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
LANGE, CAMILA NEVES; MONTEIRO, LUCILENA REBELO; FREIRE, BRUNA MOREIRA; FRANCO, DANIEL FERNANDEZ; DE SOUZA, ROGERIO OLIVEIRA; DOS REIS FERREIRA, CECILIA SACRAMENTO; CENTENO DA SILVA, JULIO JOSE; BATISTA, BRUNO LEMOS. Mineral profile exploratory analysis for rice grains traceability. Food Chemistry, v. 300, DEC 1 2019. Citações Web of Science: 0.
PEDRON, TATIANA; FREIRE, BRUNA MOREIRA; CASTRO, CARLOS EDUARDO; RIBAL, LUIZ FELIPE; BATISTA, BRUNO LEMOS. Availability of arsenic in rice grains by in vitro and in vivo (humans) assays. JOURNAL OF TRACE ELEMENTS IN MEDICINE AND BIOLOGY, v. 56, p. 184-191, DEC 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.