Busca avançada
Ano de início
Entree

O significado do magmatismo pós-orogênico tipo a oxidado: petrogênese do plúton Itupeva, batólito granítico Itu

Processo: 18/06257-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Valdecir de Assis Janasi
Beneficiário:Viviana Marcela Monsalve Hernández
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Petrologia   Granito   Petrografia   Geoquímica

Resumo

O magmatismo associado ao período pós-orogênico é caracterizado pela ocorrência de plútons formados por granitos indeformados, que normalmente têm características de "tipo A" e se associam a manifestações básicas contemporâneas. O Plutón Itupeva corresponde a um dos cinco plútons que conformam o Batólito Itu, uma das ocorrências mais expressivas da Província Granítica Itu, caracterizada por seu caráter singular no contexto da evolução tectônica Neoproterozoica do sudeste brasileiro, dada a presença de uma apreciável diversidade de rochas plutônicas: granitos de tipo A da série aluminosa e granitos cálcio-alcalinos potássicos, além de abundantes corpos de caráter básico. Com base nos estudos petrológicos realizados no Batólito, o Plúton Itupeva destaca-se por apresentar características singulares em relação aos outros corpos que são o caráter relativamente oxidado de suas rochas, os teores elevados de elementos litófilos e seu comportamento geoquímico distinto. Este projeto de pesquisa tem como objetivos principais a identificação das condições de cristalização e das áreas-fonte dos magmas que formaram o Plutón Itupeva, e a compreensão do seu significado no contexto evolutivo do Batólito Granítico Itu e do magmatismo pós-orogênico regional, a partir da obtenção de análises químicas de elementos maiores (por microssonda eletrônica) e traço (por LA-ICPMS) em fases minerais sensíveis a esses parâmetros (feldspatos, minerais máficos e zircão; e a aquisição de dados de geoquímica elemental (elementos maiores e traço) e isotópica (sistemas Rb-Sr e Sm-Nd) em amostras de rocha total representativas da diversidade litológica presente no Plúton Itupeva, e comparação com produtos de fusão parcial de potenciais fontes crustais e mantélicas regionais.