Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da ação do citral na febre induzida por lipopolissacarídeo em camundongos obesos com dieta hiperlipídica

Processo: 18/10935-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Etnofarmacologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Clélia Akiko Hiruma Lima
Beneficiário:Maycon Tavares Emílio Silva
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Monoterpenos   Produtos naturais   Citral   Febre   Obesidade

Resumo

A obesidade é considerada um problema de saúde pública, que tem crescido em diversos países pelo mundo. A ingestão de uma dieta rica em gordura leva a um progressivo aumento de tecido adiposo e desencadeia alterações na modulação do sistema imunológico, elevando a concentração de mediadores inflamatórios (TNF-±, IL-6 e leptina), considerados biomarcadores sistêmicos. O processo inflamatório crônico associado ao quadro de obesidade aumenta a suscetibilidade a infecções, que resulta em alterações na homeostasia do hospedeiro capaz de promover respostas efetoras a fim de protege-lo do patógeno. Uma das principais respostas desencadeadas é a febre, definida como o aumento controlado da temperatura corporal (Tb) devido a produção de mediadores inflamatórios periféricos, tais como IL-1², IL-6, TNF-± e PGE2 produzido sistemicamente e especialmente a PGE2, produzida na área pré-óptica do hipotálamo (AVPO). Visando minimizar os feitos danosos da febre, os anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs) são empregados como a terapêutica atual, porém o uso indiscriminado e crônico pode causar danos significativos aos usuários, como a formação de úlceras gástricas. Diante disso, o presente projeto busca estudar uma alternativa terapêutica com efetiva ação anti-inflamatória, antipirética e não agressora a mucosa gástrica para aplicação clínica de maneira eficaz e segura. Trabalhos anteriores demonstram que o citral, uma mistura racêmica de monoterpenos, exibe ação antipirética e anti-inflamatório em animais alimentados com dieta padrão. Com isso, se torna plausível caracterizar o perfil de resposta do citral em camundongos alimentados com dieta padrão e hiperlipídica (HFD) frente a febre induzida por dose baixa de lipopoilissacarideo (LPS) e elucidar seus mecanismos de ação.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.