Busca avançada
Ano de início
Entree

A doutrina do erro na filosofia de Espinosa: o problema da linguagem

Processo: 18/19326-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - História da Filosofia
Pesquisador responsável:Luís César Guimarães Oliva
Beneficiário:Gabriel Frizzarin Ramalhães de Souza
Supervisor no Exterior: Chantal Annie Jaquet
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne, França  
Vinculado à bolsa:18/06934-9 - A doutrina do erro na filosofia de Espinosa, BP.IC
Assunto(s):Erro   Linguagem

Resumo

Partindo de nossa pesquisa intitulada A doutrina do erro na filosofia de Espinosa, que consiste em compreender a concepção espinosana de erro, apresentamos o projeto de pesquisa acerca da articulação entre erro e linguagem na filosofia de Espinosa, a ser desenvolvido em três meses (03) de estágio na Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne, sob a orientação da Profa. Dra. Chantal Jaquet. Se, por um lado, a análise do Tratado da Emenda do Intelecto e da Ética II mostrou que, do ponto de vista metafísico, o erro é uma ausência de realidade e que, do ponto de vista epistemológico, ele consiste na privação de conhecimento que as ideias inadequadas envolvem, por outro, os textos também assinalam que a maioria dos erros ocorre por não se aplicar corretamente os nomes às coisas e que, nesse caso, a mente não erra. Diante disso, devemos indagar: qual é a natureza do vínculo existente entre erro e linguagem? O que seria um erro que, no limite, não se relaciona com o erro da mente? Estaria ele ligado ao corpo, já que as palavras são uma expressão corpórea? Em A unidade do Corpo e da Mente, Chantal Jaquet entende que o caso testemunha uma divergência radical entre o que se passa no corpo e o que se passa na mente, mas esse erro seria só uma aparência ligada ao fato de que o corpo não transcreve de maneira idêntica o que a mente compreende. Assim, o nosso objetivo é propor: 1) um estudo, junto à autora, de seu trabalho relativo à teoria da expressão, com a finalidade de esclarecer qual é o perfil do erro vinculado à linguagem; 2) uma investigação acerca do sentido que esse erro possui e do lugar que ele ocupa no registro metafísico e epistemológico, no esforço de posicioná-lo diante de uma doutrina do erro na filosofia de Espinosa.