Busca avançada
Ano de início
Entree

Teologia e política: o HOS me e o simples uso de fato como chaves para a desativação de dispositivos contemporâneos

Processo: 18/05408-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Teologia
Pesquisador responsável:Glauco Barsalini
Beneficiário:Glauco Barsalini
Anfitrião: Colby Heath Dickinson
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-CAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Loyola University Chicago, Estados Unidos  
Assunto(s):Religiões   Modo de vida   Conceito

Resumo

No livro O tempo que resta, Giorgio Agamben recobra a fórmula paulina de hos me (como não), inscrita em 1 Coríntios, 7, 29-31, e a interpreta como definição de uma forma-de-vida que "depõe as condições sociais em que se encontra vivendo, sem as negar, mas simplesmente as usando", fórmula a que se associa o conceito medieval franciscano de "simples uso de fato". Crítico do poder soberano contemporâneo, Agamben propõe a dissolução dos aparatos que sustentam a sacralização de tal poder, pela inoperosidade, por um novo uso que se possa fazer da política. Quer-se, aqui, investigar, na obra de Giorgio Agamben, a atualidade da fórmula paulina na sua relação com a franciscana, a fim de que se possa melhor compreender o conceito de inoperosidade desenvolvido por Agamben, que implica na desativação dos dispositivos contemporâneos de poder. (AU)