Busca avançada
Ano de início
Entree
Conteúdo relacionado

Funções ecológicas de florestas secundárias e seu papel na conservação de riachos em paisagens agrícolas da Amazônia Brasileira

Processo: 18/12341-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Silvio Frosini de Barros Ferraz
Beneficiário:Felipe Rossetti de Paula
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Conservação dos recursos naturais   Riachos   Cobertura vegetal   Amazônia Brasileira   Degradação ambiental   Restauração florestal

Resumo

A cobertura florestal na Amazônia vem sendo constantemente alterada em função da expansão de atividades econômicas, como exploração madeireira desordenada e posterior desmatamento. Estas atividades vêm diminuindo a quantidade de florestas primárias na paisagem, aumentando a quantidade de florestas degradadas (por corte seletivo ou bordas florestais de fragmentos remanescentes) e florestas secundárias (regeneração florestal após abandono de áreas agrícolas improdutivas). Estas florestas alteradas possuem menor capacidade de prover funções ecológicas em comparação com florestas primárias. Isto também é válido para as florestas ripárias, as quais desempenham importantes funções ecológicas para a estrutura e funcionamento dos ecossistemas de riachos. Estas funções ecológicas são extremamente importantes em paisagens agrícolas, onde os ecossistemas de riachos estão constantemente expostos aos impactos da agricultura, colocando em risco a saúde do ecossistema aquático e dos recursos hídricos. O objetivo desta proposta é avaliar o papel de florestas secundárias no oferecimento de funções ecológicas importantes para a estrutura e o funcionamento de ecossistemas de riachos, como fornecimento de troncos (importantes para a formação de habitats e conservação da biodiversidade) e manutenção dos níveis de decomposição foliar (importante para a manutenção do metabolismo heterotrófico em riachos). Para isto, serão utilizados diferentes conjuntos de dados coletados em duas regiões da Amazônia Brasileira. A partir dos resultados obtidos, espera-se obter novas informações importantes para o manejo de florestas ripárias em paisagens agrícolas. (AU)