Busca avançada
Ano de início
Entree

Participação dos neurônios POMCARC na hiperatividade do eixo HHA durante o estresse induzido pelo jejum

Processo: 18/18359-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Rodrigo César Rorato
Beneficiário:Luane da Guia Vieira
Instituição-sede: Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP). Campus Ribeirão Preto. Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/17968-6 - Circuitaria e fenótipos neuronais hipotalâmicos envolvidos no acoplamento da atividade do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal às alterações da homeostase energética, AP.JP
Assunto(s):Leptina   Neuroendocrinologia   Jejum

Resumo

O aumento no número de indivíduos que apresentam obesidade e Síndrome Metabólica tem sido associado ao estresse prolongado decorrente das exigências da vida moderna. Alguns grupos sugerem que hiperativação do eixo Hipotálamo-Hipófise-Adrenal (HHA) poderia contribuir para o estabelecimento destas patologias, tendo em vista as importantes ações adipogênicas associadas ao produto final do eixo, os glicocorticoides. De modo interessante, parece existir um acoplamento entre a atividade do eixo HHA e os estoques periféricos de energia. Nos modelos de estresse induzido pelo jejum ou de indução de diabetes do tipo 1 a hiperatividade do eixo adrenal decorrente do estresse metabólico pode ser corrigida pela reposição com leptina exógena; hormônio que tem suas concentrações plasmáticas diretamente proporcionais a quantidade de tecido adiposo. Por outro lado, animais obesos, que são hiperleptinêmicos, são hiporesponsivos as ações da leptina, sugerindo que o déficit na sinalização do hormônio adipocitário pode contribuir para a hiperativação do eixo HHA. Contudo, os fenótipos neuronais bem com a neurocircuitaria envolvida neste acoplamento são desconhecidos. Considerando a elevada expressão do receptor da leptina (LepR) nos neurônios do ARC e o denso número de inputs que os neurônios do PVN recebem do ARC, o presente estudo pretende: 1) Determinar a necessidade e a suficiência da sinalização da leptina nos neurônios POMC do ARC (POMCARC) para a normalização das concentrações plasmáticas de corticosterona em animais jejuados por meio de deleção gênica seletiva utilizando o sistema Cre-LoxP; 2) Investigar se a modulação seletiva e específica da atividade deste grupamento neuronal, pelo uso da tecnologia do DREADD (Designed Receptors Exclusively Activated by Designed Drugs), pode normalizar as concentrações plasmáticas de corticosterona em animais jejuados; 3) Avaliar se a modulação quimiogenética da atividade dos neurônios POMCARC tem a propriedade de reduzir as concentrações plasmáticas de corticosterona em animais tratados com lipopolissarídeo (LPS) e; 4) Determinar se os neurônios POMCARC modulam a atividade do eixo HHA via conexões diretas com os neurônios CRF do PVN (CRFPVN) pelo uso da optogenética. Os resultados obtidos com a realização do nosso estudo nos permitirá definir os subtipos neuronais bem como a neurocircuitaria responsável pelo controle da atividade do eixo adrenal durante o estresse nutricional, possibilitando a identificação de novos e específicos alvos terapêuticos necessários ao combate de distúrbios metabólicos.