Busca avançada
Ano de início
Entree

Ensaio imunoenzimático para mensuração das concentrações circulantes de progesterona no início da gestação

Processo: 18/19652-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de abril de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Guilherme Pugliesi
Beneficiário:Amanda Guimarães da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/10606-9 - Inovações no diagnóstico precoce da gestação em bovinos, AP.JP
Assunto(s):Bovinos   Prenhez   Corpo lúteo   Progesterona   Técnicas imunoenzimáticas

Resumo

As concentrações de progesterona circulante servem como indicador da funcionalidade do CL em bovinos. Assim, para que se possa confirmar que o CL não esteja funcional através da detecção da luteólise por ultrassonografia Doppler nos estudos anteriores é fundamental que as concentrações plasmáticas ou sorológicas estejam <1ng/mL (Pugliesi et al., 2012). Para isso, a maioria dos imunoensaios que apresentam alta sensibilidade e especificidade para mensurar a progesterona usam 125I para marcar a progesterona. Entretanto, a radioatividade destes radioimunoensaios é um risco para a saúde e para o meio ambiente, além do descarte do lixo radioativo ser oneroso e inconveniente. Vários ensaios não-isótopos têm sido reportados para hormônios esteroides mas ensaios comerciais viáveis e sensíveis não estão disponíveis para mensurar as concentrações de progesterona em bovinos. Assim, métodos alternativos devem ser desenvolvidos para que se tenha um método menos prejudicial ao meio ambiente mas também sensível e específico para seu uso em pesquisas com bovinos. O ELISA ("Enzime Linked Immuno Sorbent Assay"), também chamado teste ou ensaio imunoenzimático, consiste num anticorpo conjugado a uma enzima capaz de modificar um cromógeno, através da reação com seu substrato específico, gerando colorações diferentes de acordo com o cromógeno. Assim, objetiva-se desenvolver um ensaio imonuenzimático para mensuração de progesterona no plasma e soro com alta especificidade e sensibilidade. O protocolo de ELISA será validado conforme os procedimentos reportados (Al-Dujaili et al., 2009) para atingir a melhor sensibilidade. O ensaio será validado pela análise de soro e plasma coletado sob diversos condições fisiológicas ao longo do ciclo estral bovino e diversas condições experimentais estabelecidas para aumentar as concentrações circulantes de progesterona. A reação cruzada com diversos metabólitos será analisado conforme descrito anteriormente (Al-Dujaili et al., 2009), objetivando desenvolver um teste com baixa interferência de outros metabólitos no ensaio. Estudos de acurácia, paralelismo e imprecisão serão conduzidos com base no teste de radioimunoensaio para as mesmas amostras (Fernandes et al., 2011).