Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel das chaperonas HSP70/HSP90 derivadas dos exossomos no microambiente tumoral de pacientes com caquexia

Processo: 18/13394-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Pesquisador responsável:Marilia Cerqueira Leite Seelaender
Beneficiário:Rodrigo da Silva Camargo de Sousa
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Exossomos   Proteínas de choque térmico   Caquexia   Neoplasias   Biologia celular   Inflamação   Biomarcadores

Resumo

A caquexia associada ao câncer é uma síndrome multifatorial caracterizada principalmente pela perda de peso severa, acompanhada de grande desequilíbrio metabólico. Acredita-se que resulta da interação entre o hospedeiro e tumor, induzindo inflamação sistêmica. Compreender a relação entre o microambiente tumoral e a inflamação é fundamental para a descoberta de marcadores efetivos para diagnóstico e reversão da síndrome. A comunicação celular entre o tumor e os demais tecidos podem ocorrer por mediadores inflamatórios, como citocinas, células imunes, ou também por microvesículas, que são conhecidas como exossomos e podem ser transferidas a sítios remotos para regular a função de células distantes e afetam os processos de células receptoras, promovendo a interação entre várias células no microambiente tumoral. Os exossomos são pequenas vesículas extracelulares derivadas dos endossomos multivesiculares, secretados por todas as células e presentes em todo fluído corporal e desempenham um papel importante no desenvolvimento do câncer. Um estudo recente com ratos Wistar inoculados com tumor que desenvolvem caquexia, demonstrou-se que a comunicação celular entre tumor e tecidos periféricos ocorre através dos exossomos e carregam em seu interior as proteínas de choque térmico (HSP70/HSP90), que quando elevadas na circulação, tem a função de acentuar a degradação muscular. Desse modo, o objetivo do trabalho é analisar o perfil proteico de HSP70 e HSP90 nos exossomos derivados do tumor de pacientes com caquexia e correlacionar esses resultados com o perfil inflamatório expresso no microambiente tumoral dos pacientes. O estudo envolverá 20 pacientes diagnosticados com adenocarcinoma de cólon e reto, posteriormente distribuídos em dois grupos, seguindo os critérios de classificação da caquexia adotado pelo consenso internacional (Evans et al, 2008): Câncer sem caquexia (WSC=10) e Câncer com Caquexia (CC=10).