Busca avançada
Ano de início
Entree

Multirresistência aos antimicrobianos e detecção de genes associados a produção de carbapenemases em Klebsiella pneumoniae isoladas de mastite bovina com diferentes níveis de gravidade clínica

Processo: 18/17354-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2018
Vigência (Término): 31 de outubro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Marcio Garcia Ribeiro
Beneficiário:Gabriela Ferreira Tavares Boy
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/19688-8 - E. coli, Klebsiella pneumoniae e Enterococcus spp: impacto dos fatores de virulência na mastite bovina e reflexos na saúde pública, AP.TEM
Assunto(s):Doenças infecciosas em animais   Mastite animal   Animais domésticos   Gravidade   Klebsiella pneumoniae   Vacas   Reação em cadeia por polimerase (PCR)   Técnicas in vitro

Resumo

Klebsiella pneumoniae (K. pneumoniae) é uma bactéria oportunista encontrada no trato intestinal de animais e humanos, bem como no ambiente, relacionada a infecções entéricas e extra-entéricas. Em bovinos, a patógena causa mastite clínica grave, por vezes sistêmicas. K. pneumoniae e Escherichia coli são as principais enterobactérias envolvidas nos casos de mastites clínicas em vacas, de origem ambiental, com predomínio em períodos do ano com alta pluviosidade. Na mastite clínica bovina por E. coli, os casos são convencionalmente classificados em: leves (grau 1), moderados (grau 2) e graves (grau 3). Nos casos leves se observa alterações exclusivamente no leite dos quartos afetados (grumos, pus, dessora do leite, alterações da cor), enquanto nos casos moderados são encontradas alterações no leite e presença de sinais clínicos de inflamação na glândula mamária (hiperemia, edema, congestão, nódulos). Nos casos graves, além dos sinais anteriores no leite e glândula mamária, ocorre comprometimento sistêmico do animal (taquicardia, dificuldade respiratória, febre, decúbito), com morte ocasional de animais por choque endotóxico. No entanto, tal classificação não tem sido objeto de estudo nos casos de mastite clínica em vacas por K. pneumoniae. As espécies de Klebsiella de origem animal e humana comumente apresentam resistência aos antimicrobianos convencionais, particularmente do grupo dos beta-lactâmicos, tetraciclinas, aminoglicosídeos e/ou fluorquinolonas. O grupo de antimicrobianos carbapenêmicos era considerado há duas décadas como de eleição no tratamento de infecções em humanos e animais, incluindo por bactérias gram-negativas. Atualmente, a emergência de bactérias gram-negativas produtoras de carbapenemases em humanos, incluindo K. pneumoniae, é considerada preocupação mundial em Saúde Pública, notadamente no que tange ao conceito atual de One Health, posto que as infecções humanas por bactérias produtoras de carbapenemases podem ter origem animal. Entretanto, poucos estudos têm sido conduzidos no estudo da multirresistência de isolados de K. pneumoniae obtidos do leite de vacas. A enzima carbapenemase, produzida por K. pneumoniae, é utilizada como marcador molecular de resistência aos antimicrobianos e está relacionada a presença dos genes blaKPC, blaNDM e blaOXA-48. Neste contexto, o presente estudo pretende investigar a resistência de 50 isolados de K. pneumoniae obtidos de vacas com mastite clínica, com diferentes níveis de gravidade clínica. Os isolados serão submetidos ao teste fenotípico de sensibilidade microbiana "in vitro", pelo método de difusão com discos, denominado Índice de Resistência Múltipla aos Antimicrobianos (IRMA), que é constituído por antimicrobianos representantes de 10 grupamentos diferentes (recomendados no tratamento de bactérias gram-negativas em Medicina Humana e/ou Veterinária). Ademais, os isolados serão submetidos a teste molecular, pela técnica de PCR, para detecção dos principais genes envolvidos com a produção de carbapenemases (blaKPC, blaNDM e blaOXA-48). Serão investigados também a maior frequência de isolamento dos isolados de K. pneumoniae segundo as estações do ano, devido a característica ambiental do agente. Serão confrontados os resultados do perfil de sensibilidade "in vitro" pelos métodos fenotípicos, a detecção molecular dos genes de resistência de K. pneumoniae, a frequência de isolamento nas diferentes estações do ano e os níveis de gravidade clínica.