Busca avançada
Ano de início
Entree

Predisposição de leitões neonatos a lesões no sistema respiratório javascript:submited();PELO uso de pó secante

Processo: 18/14964-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Luís Guilherme de Oliveira
Beneficiário:Mariela Aparecida Claro Martines
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Pulmão   Suínos   Secagem

Resumo

A secagem dos leitões consiste na remoção dos líquidos fetais e restos de membrana, e é um ponto primordial do manejo dos recém-nascidos, pois eles apresentam pequenas reservas de gordura corporal e baixos níveis de glicose e glicogênio, essenciais para se manterem aquecidos. Sendo assim, este estudo tem como objetivo avaliar os efeitos da exposição de neonatos suínos a diferentes tipos de secagem mais comumente usados ao nascimento, e a possibilidade de estes produtos causarem injúrias ao trato respiratório dos neonatos, implicando em queda no desempenho produtivo. Serão utilizados três métodos de secagem: com toalhas de papel ou panos limpos, sendo preferíveis as toalhas de papel por serem mais higiênicas; com pó secante de uso pediátrico para leitões que evita a perda de calor e desidratação no recém-nascido; com maravalha, uma serragem especial de pinus, com finalidade semelhante à do pó secante. Serão utilizadas 6 marrãs de mesma linhagem comercial, divididas em três grupos experimentais, para a concepção dos leitões a serem avaliados neste estudo. Espera-se um mínimo de 6 leitões vivos por fêmea, o que totaliza 12 leitões por grupo, e 36 leitões totais. O leitões nascidos no Grupo 1 (G1, n=2) receberão ao nascimento secagem com pó secante comercial; os leitões do Grupo 2 (G2, n=2) de fêmeas cujos leitões serão secos com maravalha; e os do Grupo 3 (G3, n=2) irão compor o grupo controle, cujos leitões serão secos com papel toalha. Para avaliação do tecido pulmonar quanto à presença de resposta inflamatória e lesões, dois leitões de cada leitegada serão abatidos no primeiro dia de vida (D1, n=12), no quarto dia (D4, n=12) e no sétimo dia (D7, n=12), e o sangue total será coletado para análise de hemograma. Na necrópsia será realizada avaliação macroscópica para a observação de lesões, além da colheita de amostras de traqueia e lobos pulmonares para avaliação histopatológica. Os neonatos mantidos vivos serão avaliados clinicamente para observação de sinais clínicos respiratórios até o sétimo dia de vida.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.