Busca avançada
Ano de início
Entree

Limites temporais, condições de oxi-redução e fontes dos sedimentos relacionados ao aumento na oxigenação atmosférica no Proterozóico no Brasil

Processo: 18/14617-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Pascal Andre Marie Philippot
Beneficiário:Francesco Narduzzi
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/16235-2 - Evolução da vida e oxigenação da Terra primitiva: uma perspectiva a partir da América do Sul, AP.SPEC
Bolsa(s) vinculada(s):19/17732-0 - O papel das grandes províncias ígneas subareas na modelagem de mudanças ambientais e climáticas durante o aumento do oxigênio atmosférico no Proterozoico no Brasil, BE.EP.PD
Assunto(s):Oxidação   Oceanos   Atmosfera   Geoquímica

Resumo

A atmosfera e os oceanos se tornaram oxidados em dois períodos de transição principais, o Grande Evento de Oxidação (~ 2.45 e 2.2 Ga) e o Evento de Oxidação Neoproterozóico (~ 0.80 e 0.54 Ga). Evidências são encontradas na África do Sul, América do Norte, Austrália Ocidental e Rússia. Porém, o tempo real, duração, mecanismo e alcance do aumento de O2 ainda são questões abertas devido a pobreza nas idades e as contradições nas correlações estratigráficas entre esses diferentes terrenos. Curiosamente, vários estudos enfatizaram uma possível relação entre eventos de oxidação, eventos de glaciação global coevos e ampla atividade de grandes províncias ígneas. No Brasil, rochas sedimentares que pertenciam as Províncias Paleoproterozóicas de Carajás e do Quadrilátero Ferrífero e aos Grupos Neoproterozóicos do Jacadigo e do Bambuí foram depositadas durante os Eventos de Oxidação Grande e Neoproterozóico, respectivamente. Apesar disso, eles não são considerados na reconstrução global por causa de uma investigação geocronológica, elementar e isotópica ainda escassa. Isso impõe uma caracterização mais aprofundada. O objetivo deste projeto é, portanto: i) constranger a idades dos Eventos de Oxidação Grande e Neoproterozóico e os episódios glaciais associados por meio da geocronologia Re-Os em xistos negros e sulfetos sedimentares de unidades sedimentares chave do Brasil; ii) realizar a sistemática isotópica de Nd - Hf nos mesmos sedimentos datados, em diamictitos glaciais e em carbonatos relacionados, do Brasil, e seus equivalentes do Oeste da Austrália (Grupo do Turee Creek) para caracterizar as fontes de sedimentos e avaliar o papel potencial das grandes províncias ígneas na oxigenação e resfriamento global da superfície da Terra durante o Proterozóico.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SCHANNOR, MATHIAS; LANA, CRISTIANO; MAZOZ, ARIELA; NARDUZZI, FRANCESCO; CUTTS, KATHRYN; FONSECA, MARCO. Paleoproterozoic sources for Cordilleran-type Neoproterozoic granitoids from the Aracuai orogen (SE Brazil): Constraints from Hf isotope zircon composition. LITHOS, v. 378, DEC 15 2020. Citações Web of Science: 0.
ROSSIGNOL, CAMILLE; REGO, ERIC SICILIANO; NARDUZZI, FRANCESCO; TEIXEIRA, LIVIA; AVILA, JANAINA N.; SILVA, MARCO A. L.; LANA, CRISTIANO; PHILIPPOT, PASCAL. Stratigraphy and geochronological constraints of the Serra Sul Formation (Carajas Basin, Amazonian Craton, Brazil). Precambrian Research, v. 351, DEC 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.