Busca avançada
Ano de início
Entree

O estudo do papel dos neoantígenos na modulação da resposta anti-tumoral promovido pelo tratamento com p19Arf e IFN-beta em células B16

Processo: 17/25290-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2018
Vigência (Término): 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Bryan Eric Strauss
Beneficiário:Nayara Gusmão Tessarollo
Instituição-sede: Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Octavio Frias de Oliveira (ICESP). Coordenadoria de Serviços de Saúde (CSS). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/26580-9 - Terapia gênica do câncer: alinhamento estratégico para estudos translacionais, AP.TEM
Assunto(s):Terapia genética   Melanoma

Resumo

O melanoma é o tipo mais agressivo de câncer de pele e apresenta alta letalidade. Crescentes trabalhos têm mostrado a relevância e os benefícios da terapia gênica no tratamento do mesmo. Neste contexto, recentes pesquisas apontam para a vacinação envolvendo neoantígenos como estratégia promissora no tratamento dessa malignidade. Resultados prévios do grupo de pesquisa conduzido pelo professor Bryan Strauss no Laboratório de Vetores Virais (ICESP) mostraram que a transferência gênica combinada de p19Arf e IFN² atua com sinergismo sobre o sistema imune promovendo a atração de neutrófilos, células natural killer e linfócitos T CD4+ e CD8+, além de modular a expressão de genes envolvidos em importantes vias de sinalização celular como a via de p53. No entanto, os mecanismos de ativação do sistema imunológico não foram completamente elucidados. Sendo assim, teorizamos que o tratamento com os vetores adenovirais pode alterar a expressão dos neoantígenos e estes podem apresentar um relevante papel na indução da resposta imune. Como já existem artigos publicados que descrevem os neoantígenos importantes para a linhagem B16, iniciaremos avaliando alterações na expressão destes neoantígenos frente ao tratamento com os vetores adenovirais p19Arf e IFN², bem como a participação dos mesmos na resposta imunológica antitumoral. Ademais, buscamos revelar o desempenho desses neoantígenos como agentes vacinogênicos quando associados ao tratamento com p19Arf e IFN². Espera-se que esta associação proporcione a regressão de tumores metastáticos em modelos murinos de imunoterapia de melanoma.