Busca avançada
Ano de início
Entree

Modulação do processo inflamatório renal pela inibição de receptores B1 de cininas em células imunológicas

Processo: 18/05880-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2018
Vigência (Término): 31 de outubro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Ronaldo de Carvalho Araújo
Beneficiário:Leonan Spagnolo Benites
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/20082-7 - Sistema calicreína cininas no exercício físico e metabolismo, AP.TEM
Assunto(s):Nefrologia   Lesão renal aguda

Resumo

Evidências indicam que a incidência de lesões renais agudas (LRA) está aumentando rapidamente, particularmente entre pacientes hospitalizados com outras doenças agudas e aqueles submetidos a grandes cirurgias. As sequelas são severas e caracterizam-se por aumento no risco de mortalidade a curto e longo prazo. Embora a mortalidade associada à LRA esteja diminuindo, permanece inaceitavelmente alta. Essa diminuição esconde o fato de que o número absoluto de pacientes evoluindo para óbito está aumentando, enquanto ainda existem poucas intervenções preventivas ou terapêuticas efetivas comprovadas. Os sobreviventes da LRA, particularmente aqueles que permanecem na terapia de reposição renal, apresentam redução significativa na qualidade de vida e consomem recursos de cuidados de saúde substancialmente maiores quando comparado a população em geral como resultado de internações mais longas e internações não planejadas em UTIs. Essa lesão renal ocorre devido à migração exacerbada de neutrófilos e macrófagos ao rim na tentativa de combater alguma situação não fisiológica, provocando a liberação de uma série de substâncias que, em excesso, levam a danos irreversíveis ao tecido renal. Alguns tratamentos por fármacos possuem o efeito colateral de comprometer as células renais, possibilitando o aparecimento de uma inflamação aguda. A exemplo, tem-se a cisplatina, a qual é utilizada em modelo experimental, possibilitando a indução de um processo inflamatório renal, provocando uma LRA. Nesse processo, o sistema cinina-calicreína atua com o papel de sinalização para recrutamento e mobilização de macrófagos e neutrófilos ao local lesado, utilizando receptores B1 expresso nessas células. Uma vez conseguido provar que a inibição dos receptores B1R em células imunológicas influenciam diretamente na redução do quadro inflamatório renal, cria-se espaço para estudos focado no desenvolvimento de medicações com ações inibitórias especificamente nesses receptores, passíveis de serem oferecidas como complemento a pacientes que necessitam de tratamentos com fármacos que levam a lesões renais, atenuando esse efeito colateral e promovendo uma melhor resposta aos diversos tratamentos que se fizerem necessários, inclusive com a própria cisplatina utilizada no estudo.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.