Busca avançada
Ano de início
Entree

Resgatando a memória eleitoral brasileira: criação de bancos de dados das eleições de 1933-1964

Processo: 18/17403-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Felipe de Alencastro
Beneficiário:Giovanni Iuliano Meira
Instituição-sede: Escola de Economia de São Paulo (EESP). Fundação Getúlio Vargas (FGV). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/15658-1 - As instituições políticas subnacionais: um estudo comparativo dos estados brasileiros, AP.TEM
Assunto(s):Ciência política   Sistemas políticos   Eleições (processo político)   Organização da informação   Banco de dados

Resumo

A ciência política brasileira não costuma valorizar as experiências eleitorais anteriores à democratização do país. Mesmo para o regime de 1946-1964, os resultados eleitorais ainda não foram desagregados no nível dos municípios. A proposta é organizar os dados por zona eleitoral desde as primeiras eleições proporcionais (nos anos 1930) até o golpe de 1964 justamente para ser possível comparar os dois contextos eleitorais. O período de 1933-1937 teve uma agenda eleitoral em geral desconhecida. Primeiro, ocorreram as eleições à Assembleia Constituinte de 1933. No ano seguinte, aconteceram as eleições à Câmara dos Deputados e às Assembleias estaduais. Por fim, as eleições municipais se deram entre 1935 e 1937. Tratam-se de informações dispersas nos boletins dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), nos Diários Oficiais dos estados e nos jornais de época. Para o regime de 1946-1964, cujo calendário eleitoral é bem registrado pela historiografia política, os dados eleitorais encontram-se basicamente armazenados nos TREs, além do acervo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília.