Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo dos cromossomos sexuais de Megaleporinus elongatus (Anostomidae) baseado em sequências de DNAs satélites

Processo: 18/12906-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Patricia Pasquali Parise Maltempi
Beneficiário:Evelin Mariani Gonçalves
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Citogenética   DNA satélite   Cromossomos sexuais   Anostomidae   Biblioteca genômica

Resumo

Cromossomos sexuais evoluíram de forma independente durante o processo evolutivo nos grupos de vertebrados, de modo que seu padrão de evolução se sucede de forma diferente dos cromossomos autossômicos. Em relação aos peixes, encontra-se uma grande diversidade de sistemas de cromossomos sexuais, que podem apresentar tanto cromossomos sexuais homomórficos, quanto cromossomos sexuais heteromórficos. No que diz respeito aos cromossomos sexuais heteromórficos, tem-se que em um dos homólogos, seja o Y ou o W, pode ocorrer a presença de uma grande quantidade de heterocromatina, rica em sequências repetitivas. Um exemplo dessas sequências repetitivas, a classe dos DNA satélites, por serem altamente dinâmicos podem estar relacionados ao processo evolutivo de diferenciação dos cromossomos sexuais. O gênero Megaleporinus é um modelo interessante para o estudo da evolução de cromossomos sexuais em peixes, uma vez que algumas de suas espécies apresentam heterogametia feminina (ZZ/ZW) com uma taxa elevada de sequências repetitivas em seus cromossomos sexuais heteromórficos. Não se sabe, ainda, com profundidade a função e a organização dessas sequências repetitivas nos cromossomos sexuais de peixes. Desse modo, o projeto tem como objetivo estudar a organização genômica e compreender a possível história evolutiva dos cromossomos sexuais da espécie M. elongatus, através do isolamento de sequências de DNA satélite, amplificação dos mesmos e hibridação de sondas em cromossomos de ambos os sexos da espécie.