Busca avançada
Ano de início
Entree

MiRNA-210 como marcador de diagnóstico e prognóstico de mulheres com câncer de mama

Processo: 18/14828-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Debora Aparecida Pires de Campos Zuccari
Beneficiário:Cristine Zampieri Braga
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Oncologia experimental   Prognóstico   Imuno-histoquímica   Biomarcadores tumorais   MicroRNAs   Regulação da expressão gênica   Técnicas e procedimentos diagnósticos   Neoplasias mamárias   Mulheres

Resumo

O câncer de mama é a neoplasia de maior prevalência e mortalidade em mulheres no mundo, sendo que em 2018 estimou-se a ocorrência de 57.960 casos novos no Brasil. Os métodos diagnósticos atuais se limitam principalmente a procedimentos invasivos, e mesmo após o diagnóstico, a determinação do prognóstico pode não ser conclusiva, uma vez que pacientes podem adquirir resistência ao tratamento, favorecendo o crescimento tumoral, invasão e metástase. Assim, marcadores de diagnóstico e prognóstico podem ser utilizados para determinar características do tumor, identificando pacientes que se beneficiarão com tratamentos específicos. MicroRNAs (miRNA ou miRs) são pequenas moléculas de mRNA não codificantes que desempenham papel fundamental na regulação gênica. A expressão de miRNAs está intimamente associada com o desenvolvimento tumoral, invasão, angiogênese e metástase de vários tipos de câncer, incluindo o câncer de mama. Dentre os microRNAs, no câncer de mama, destaca-se o oncomiR-210. Estudos recentes mostram que a superexpressão deste miRNA em câncer de mama está associada a uma maior agressividade e a um menor tempo livre da doença. Ainda de acordo com a literatura, o miR-210 inibe a expressão do gene VHL e, consequentemente, aumenta a expressão de fatores pró-angiogênicos como o HIF-1± e VEGF, permitindo, deste modo, o crescimento de novos vasos sanguíneos para suprir o crescimento tumoral. Com base nesse contexto, o objetivo desse trabalho é validar o miR-210 como marcador de diagnóstico e prognóstico de mulheres com câncer de mama a partir de amostras de fragmentos mamários (normais e tumorais). O oncomiR-210 vem sendo estudado em nosso grupo de pesquisa, tanto em linhagens celulares como em plasma. Para este estudo, serão coletados 15 fragmentos tumorais de mulheres com câncer de mama e 5 fragmentos mamários de mulheres sem tumor e sem histórico de câncer na família. Em seguida, será realizada a extração de RNA, síntese de cDNA e PCR em tempo real. Na etapa de validação, será analisada a expressão proteica das proteínas-alvo desse miRNA (VHL, HIF-1±, e VEGF) por imunohistoquímica.