Busca avançada
Ano de início
Entree

Inovação audiovisual e a voz política em Let England Shake, Biophilia e Lemonade

Processo: 18/11470-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Artes - Cinema
Pesquisador responsável:Cecilia Antakly de Mello
Beneficiário:Fernando Paes de Oliveira Chaves Guimarães
Instituição-sede: Escola de Comunicações e Artes (ECA). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Indústria cultural   Estética (arte)   Videoclipe   Mulheres na arte   Estudo comparativo

Resumo

A pesquisa proposta tem como objetivo a análise comparada de três projetos musicais e audiovisuais lançados por artistas mulheres na década de 2010: Let England Shake, de PJ Harvey; Biophilia, de Björk, ambos do ano de 2011; e Lemonade, de Beyoncé, lançado em 2016. Esses projetos têm como ponto em comum seu ímpeto inovador, presente no modo como combinam o material musical com o audiovisual, apontando para novos horizontes de expressão artística no século XXI. Partindo do cotejo desse conjunto de obras, a pesquisa irá se desenvolver em dois eixos, que por sua vez suscitarão as duas hipóteses principais, e interdependentes, a serem exploradas. A primeira hipótese recai sobre a esfera formal e se relaciona com o conceito de intermídia e intermidialidade no audiovisual, tendência vista como geradora de formas híbridas ou novas formas e gêneros, capazes de criar novas tradições. A segunda hipótese a ser explorada parte do caráter híbrido das obras em questão para sugerir que sua intermidialidade abre caminho, dentro da indústria cultural, tanto para a inovação estética quanto para articulações de cunho político, envolvendo assuntos postos na cultura e transformações sociais da contemporaneidade, dentre os quais as invasões do Iraque e do Afeganistão pelos Estados Unidos e aliados e as guerras subsequentes nesses países nos anos 2000, a crise econômica de 2008, a crise ambiental, o feminismo e a negritude.