Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito dos cultivos agrícolas na diversidade de ácaros predadores Mesostigmata e prospecção para uso no controle biológico

Processo: 18/14478-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2018
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Raphael de Campos Castilho
Beneficiário:Emiliano Brandão de Azevedo
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/12004-1 - Ácaros edáficos: diversidade, relação com a microbiota e ecologia em áreas naturais e cultivadas no Brasil, com elaboração de bases de dados e chaves para identificação de grupos selecionados, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Controle biológico   Mesostigmata   Ecologia

Resumo

O conhecimento da acarofauna edáfica no Brasil é incipiente, principalmente em áreas agricultáveis. Um dos grupos mais comuns de ácaros edáficos são os Mesostigmata, conhecidos pelo potencial como agentes de controle biológico de organismos prejudiciais à Agricultura. Sendo assim, objetiva-se com esse estudo determinar os grupos de Mesostigmata edáficos encontrados em cultivos agrícolas, com diferentes tipos de solo e manejo, e também em área natural, no bioma Mata Atlântica, do interior do estado de São Paulo, incluindo ainda a descrição de novos táxons (pelo menos cinco espécies) e testes com pelo menos duas espécies para verificar o potencial para o controle biológico de pragas e parasitos. Para isso foram selecionadas cinco áreas de coletas na Fazenda Experimental da FCAV/UNESP, quatro delas com cultivos agrícolas, principalmente de milho e soja, cada uma representando um solo com características diferentes e com práticas de manejo diferentes, e uma área com remanescente de vegetação natural de Mata Atlântica. Em cada área e em cada coleta serão retiradas 32 amostras, sendo 16 de matéria orgânica e 16 com profundidade 0-10 cm. Essas coletas serão realizadas a cada dois meses, durante um período de dois anos. No laboratório, as amostras coletadas serão extraídas e os ácaros Mesostigmata serão identificados até o nível de espécie. Após a realização de todas as coletas e identificação dos ácaros, serão realizadas análises com os dados de abundância e diversidade. Dos Mesostigmata coletados, caso sejam encontradas espécies novas, cinco destas serão descritas. Além disso, dos Mesostigmata encontrados, serão realizados testes para verificar o potencial de pelo menos duas espécies no controle de pragas e parasitos. O uso mais significativo do controle biológico com ácaros predadores Mesostigmata no Brasil depende essencialmente dos resultados das pesquisas básicas, como os sugeridos no presente projeto, para que complementem os conhecimentos já existentes. Novos estudos, principalmente nessas áreas incipientes relatadas, poderão alavancar a utilização de ácaros predadores edáficos no controle de pragas e parasitos no Brasil. (AU)