Busca avançada
Ano de início
Entree

Função da progesterona e da protease ADAMTS 1 na migração de células derivadas de câncer de ovário

Processo: 18/19813-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Vanessa Morais Freitas
Beneficiário:Maíra de Assis Lima
Supervisor no Exterior: Louis Hodgson
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Yeshiva University, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:15/19773-5 - Função da progesterona e da protease ADAMTS 1 na migração de células derivadas de câncer de ovário, BP.DR
Assunto(s):Matriz extracelular   Progesterona   Migração   Neoplasias

Resumo

A progressão do câncer depende não só das habilidades adquiridas pelas células neo-plásicas, mas também da interação entre as células e seu microambiente. As ADAMTSs (a disin-tegrin and metalloproteinase with thrombospondin motifs ou adamalysin-thrombospondin) são proteases secretadas dependentes de Zn2+/Ca2+ e que participam em diversos processos fisiológicos e patológicos. Em projeto anterior, demonstramos que além de ter influência sobre os níveis gênicos e proteicos das ADAMTSs nas linhagens de câncer estudadas, a progesterona mostrou reduzir a capacidade migratória e invasiva de células de ovário quando comparada as células sem tratamento. Nos observamos que 500 nM ou 1µM de progesterona diminuem a migração das células sem afetar naviabilidade e o uso de RU486 recuperou a capacidade migratória das células. As células de ovário, quando tratadas com o meio condicionado rico em ADAMTS-1 tiveram diminuição na migraçõa quandocomparada as célulastratadas com o meiocondicionado controle, e nessas condições a progesterona foi capaz de dminuir a migração celular. No entanto as células deletadas para o gene de ADAMTS-1 preveniram a diminuição da migração induzida pela progestrona. Usando o Kit G-LISA® de análise da ativação de Rho GTPaes observamos que o tratamento com progesterona diminui a forma ativa da Rho GTPase Cdc42 em relação as células não tratadas com a progesterona. Células deletadas para ADAMTS-1 tem a Rho GTPases Cdc42 mais ativa em relação as células selvagens. Por outro lado, Células ES-2 tratadas com meio condicionado enriquecido com ADAMTS-1 tiveram uma diminuição na ativação de Cdc42 em relação as células tratadas com o meio condicionado controle. CDC42 é um membro da família p21 Rho de pequenas GTPases que está envolvido em uma variedade de eventos de sinalização e funções celulares, incluindo polaridade celular, reorganização do citoesqueleto, transcrição, proliferação, adesão, migração e tráfico de membrana. Nosso objetivo é investigar se a progesterona leva à diminuição da invasão e migração de células ES-2 por CDC42 e se a ADAMTS-1 está envolvida nesse processo. Utilizando um biossensor Cdc42 desenvolvido para detectar a atividade do Cdc42 endógeno em células vivas, a ativação de CDC42 será medida em células de ovário do tipo selvagem ou moduladas para ADAMTS-1 na ausência ou presença de progesterona.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.