Busca avançada
Ano de início
Entree

Butirato de sódio microencapsulado como aditivo alternativo aos antimicrobianos em dietas para frangos de corte desafiados com Eimeria spp sobre a integridade intestinal

Processo: 18/10672-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2018
Vigência (Término): 30 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Valquíria Cação Cruz-Polycarpo
Beneficiário:Gabrieli Andressa de Lima
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Tecnológicas. Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Dracena. Dracena , SP, Brasil
Assunto(s):Isótopos estáveis   Ácido butírico   Ácidos orgânicos   Microencapsulação   Avicultura   Aves

Resumo

O objetivo deste trabalho será avaliar o efeito do ácido butírico microencapsulado em substituição aos antibióticos promotores de crescimento sobre a taxa de turnover da mucosa, morfometria e escores de lesão do intestino delgado, além da contagem de oocistos das excretas de frangos de corte desafiados com Eimeria acervulina, E. maxima e E. tenella. Serão utilizados 1.200 pintos de corte machos, Ross, distribuídos em um delineamento inteiramente casualisado, com cinco tratamentos e seis repetições. Os tratamentos consistirão de: ração basal (RB); RB + anticoccidiano e antibiótico; RB + 0,10% de ácido butírico microencapsulado; RB + 0,15% de ácido butírico microencapsulado; RB + 0,20% ácido butírico microencapsulado. Para avaliar a taxa de turnover da mucosa, as aves receberão dietas predominantemente C3. Aos 16 dias de idade todas as aves de todos os tratamentos serão inoculadas com oocistos de Eimerias e, a partir de 21 dias, para avaliar a taxa de turnover apos desafio, as aves passarão a receber dieta predominantemente C4. Amostras de mucosa serão analisadas isotopicamente por espectrometria de massa antes e após desafio. Para as análises morfometricas do intestino delgado, aos 14, 21 e 42 dias de idade, serão colhidos segmentos do duodeno e jejuno de seis aves por tratamento. Aos 5, 6, 7, 8, 9, 10, 12, e 19 dias após inoculac'ao serão avaliados os escores de lesão do intestino delgado, e aos 4, 5, 6 e 7 dias após a inoculação serão coletadas amostras de excretas de cada unidade experimental para contagem de oocistos. Os dados serão submetidos a análise de variância pelo procedimento GLM e, quando houver efeito significativo, as médias serão comparadas pelo teste de Tukey com 5% de significância. As análises de turnover da mucosa intestinal serão realizadas pelo método de regressão exponencial.