Busca avançada
Ano de início
Entree

Aplicação de um biossensor para avaliar a eficiência de remediação de águas urbanas contaminadas utilizando resíduos da produção de surfactina

Processo: 18/16501-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2018
Vigência (Término): 31 de outubro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Renata Kelly Mendes Valente
Beneficiário:Amanda Arthuzo Corrêa
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-CAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Química ambiental   Resíduos orgânicos   Descontaminação   Remediação   Técnicas biossensoriais   Biossurfactantes   Águas urbanas

Resumo

A industrialização nas grandes cidades trouxe como uma de suas consequências a produção de resíduos em larga escala que, se não tratados, são despejados nos cursos de água, contaminando o meio ambiente, com sérios efeitos deletérios à saúde humana. Neste tipo de efluente podem ser encontrados importantes contaminantes, como os orgânicos, com destaque para o cresol, muito utilizado em diversos segmentos industriais, que possuem alta toxicidade para animais e plantas. Por isso, torna-se essencial os processos de descontaminação, evitando o prolongamento dos danos ambientais. Uma das maneiras mais interessantes de remediação envolve o uso de processos de adsorção de compostos que são classificados como resíduos em determinadas indústrias, como as águas de lavagem relacionadas a produção de biossurfactantes, como a surfactina. Isso porque estas águas de lavagem contêm ainda pequenas quantidades do biossurfactantes, que são poderosos agentes de adsorção. Para avaliar a eficiência da remediação, será utilizado um biossensor voltamétrico contendo nanocompósito híbrido orgânico/inorgânico a base da enzima laccase, que será aplicado em amostras de águas urbanas contaminadas antes e após o processo de descontaminação.