Busca avançada
Ano de início
Entree

Usos de moléculas citoprotetoras (hemolina, lipocalina e peptídeos) como ferramentas para a pesquisa de novos alvos moleculares em condrócitos osteoartríticos

Processo: 18/20469-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2018
Vigência (Término): 31 de outubro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Convênio/Acordo: GlaxoSmithKline
Pesquisador responsável:Ana Marisa Chudzinski-Tavassi
Beneficiário:Renata Nascimento Gomes
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/50040-4 - Rational approach for searching molecular targets involved in inflammatory events and cell survival, AP.PCPE
Assunto(s):Condrócitos   Análise de sequência de RNA   Osteoartrite

Resumo

Vários estudos mostraram que o envelhecimento dos condrócitos está associado à degeneração da cartilagem articular e pode ser observado na patogênese das doenças articulares, como artrite reumatoide e osteoartrite (OA). Uma das mudanças mais importantes na cartilagem está relacionada aos componentes da matriz extracelular. Além disso, as citocinas pró-inflamatórias, como o TNF-alfa e a IL-1², desempenham papéis importantes na progressão dessas alterações degenerativas. Losac (Lonomia obliqua Stuart-fator Ativador) é um componente da cerda de L. obliqua que compartilha diferentes graus de similaridade com moléculas de adesão celular da superfamília de imunoglobulinas (IgSF). Anteriormente, foi demonstrado que Losac induz uma atividade pró-sobrevivência em HUVECs privadas de soro, aumentando o metabolismo das mitocôndrias. Todas as nossas análises indicam que, Losac aciona a viabilidade celular através da estimulação ou ativação das vias de sobrevivência / proliferativa (ERK1 / 2 MAPK) nas primeiras horas de contato celular com Losac e posterior expressão gênica, síntese de DNA e proliferação. Vale a pena notar que a análise de microarray (em células endoteliais) apontou o envolvimento de PDGFR (receptor do fator de crescimento derivado de plaquetas) na sobrevivência celular induzida por Losac. No fibroblasto, o rLosac estimula a sobrevivência celular, mas não a proliferação celular, sugerindo diferentes efeitos dependendo do tipo celular. Recentemente, dados preliminares de um modelo in vivo de cicatrização de feridas demonstraram que o rLosac induz a síntese de colágeno na derme do rato. Por outro lado, o Lopap (Lonomia obliqua proteína ativadora da protrombina) foi isolado das cerdas da lagarta Lonomia obliqua e pertence à família das lipocalinas. A forma recombinante (rLopap) apresenta atividade semelhante à protease serina com efeitos em diferentes células, incluindo condrócitos, atuando e promovendo efeitos antiapoptóticos mesmo sob condições de estresse (como processo inflamatório), e aumenta a expressão de moléculas envolvidas na remodelação tecidual (como colágeno, fibronectina e tenascina). Todos os achados juntos, rLosac e rLopap podem ter potencial para prevenir inflamação, envelhecimento e morte celular induzida em condrócitos pró-inflamatórios. Essas proteínas e o extrato de cerdas de Lonomia obliqua poderiam ser considerados como uma ferramenta promissora para estudos de alvos que protegem a cartilagem articular contra a progressão da OA.