Busca avançada
Ano de início
Entree

Magnetohipertermia aplicada a nanopartículas com estrutura tipo Garnet: estudo da funcionalização e encapsulamento em polímeros termorrígidos

Processo: 18/07212-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2018
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Alexandre Zirpoli Simões
Beneficiário:Barbara Sartorelli Caldeira
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEG). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Guaratinguetá. Guaratinguetá , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07296-2 - CDMF - Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais, AP.CEPID
Bolsa(s) vinculada(s):19/10918-1 - Efeito do tamanho de partícula e da concentração de alumínio nas propriedades estruturais e magnéticas da ferrita de ítrio com estrutura tipo Garnet obtida pelo método hidrotermal assistipo por micro-ondas, BE.EP.IC
Assunto(s):Materiais cerâmicos   Propriedades magnéticas   Funcionalização

Resumo

O câncer frequentemente é alvo de atenção na comunidade científica devido ao seu risco para a população. Este é descrito pelo crescimento desordenado de células que, ao se aglomerarem, formam tumores. Dessa forma, alguns procedimentos clínicos têm sido desenvolvidos para a terapia do câncer nesse último século. Hoje, o tratamento clássico utilizado é a retirada da região tumoral aliada com a quimioterapia, imunoterapia ou radioterapia. Para alguns casos, como o câncer de fígado, o tratamento por cirurgia e radioterapia é limitado. O desenvolvimento da técnica de hipertermia alavancou a possibilidade de um tratamento adicional pois aliado com outras técnicas, aumenta os seus efeitos. Na hipertermia, nanopartículas compostas de Y3Fe5-xAlxO12 são introduzidas no tumor e aquecidas por indução através de um campo magnético variável em temperatura moderada (~ 42 °C). Essas partículas são conhecidas por suas propriedades físicas interessantes, como, alta magnetização de saturação e temperatura de Curie controlável, assim aparecem como um candidato promissor. Entretanto, tais partículas possuem alta citotoxicidade, sendo necessárias técnicas de encapsulamento que imputem a estas propriedades biocompatíveis. Portanto, o foco desse projeto é encapsular as nanocerâmicas funcionalizadas usando resinas epoxídicas. Devido às suas propriedades, o éter diglicidílico do bisfenol A (DGEBA) curado com diaminas, permite transportar as nanopartículas até a região tumoral. O sistema do polímero com partículas policristalinas será preparado via polimerização em fase heterogênea, e caracterizado por difração de raios-X (DRX), microscopia eletrônica de varredura (MEV) e espectroscopia de absorção na região do infravermelho (FT-IR). O projeto irá estudar as condições necessárias para o uso de nanopartículas na hipertermia para tratamento do hepatocarcinoma.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.