Busca avançada
Ano de início
Entree

Farelo de glúten de milho seco na dieta de bovinos Nelore em terminação: comportamento ingestivo, saúde ruminal e perfil metabólico sanguíneo

Processo: 18/18002-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Danilo Domingues Millen
Beneficiário:Hugo Lennon Correa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Rúmen   Fermentação ruminal   Glutens   Milho   Dieta animal   Confinamento animal   Bovinos   Gado Nelore   Teste de Tukey

Resumo

As dietas de confinamentos são em sua totalidade composta por rações com alta proporção de grãos, em que o milho é o principal ingrediente energético da dieta. Por representar a maior parcela de despesas com alimentação na produção de carne bovina, dietas com alta energia podem comprometer os parâmetros ruminais, causando instabilidade nos processos fermentativos e consequentemente prejudicar o desempenho animal. Logo, a busca por alimentos alternativos que otimizem os gastos com alimentação, bem como auxiliem na melhoria dos processos digestivos e contribuam com o desempenho animal, tornam-se necessários. Dessa forma, o objetivo desta pesquisa é avaliar o efeito da inclusão do farelo de glúten de milho seco no consumo, comportamento ingestivo, e saúde ruminal de bovinos Nelores em terminação. Serão utilizados 120 bovinos macho não-castrados, com aproximadamente 361,2 ± 15 kg de peso vivo inicial e submetidos aleatoriamente em um delineamento em blocos casualizado com quatro tratamentos de diferentes níveis de inclusão de farelo de glúten de milho seco (0, 18, 36, 54% da MS da dieta) em substituição ao milho grão moído. Serão coletados dados referente ao comportamento ingestivo por meio de observação durante 24 horas a cada 5 minutos., bem como avaliação da seletividade dos ingredientes da dieta por meio da coleta de amostras da dieta ofertada e recusada referente ao dia de avaliação de comportamento, além de dados referente ao perfil metabólico sanguíneo com o auxílio do aparelho i-STAT CG4+®, via coleta de sangue da veia jugular de dois animais por tratamento, ao final da fase de adaptação o ao final da etapa de terminação. Após cento e treze dias de cocho, os animais serão abatidos e, seguidamente, será coletado dados para avaliação de índices de rumenites e abcessos hepáticos, morfologia e histologia de papilas. Os dados serão analisados utilizando o procedimento PROC MIXED do software estatístico SAS (SAS Inst. Inc., Cary, NC, USA). A baia será a unidade experimental e incluída no modelo como efeito aleatório. O modelo incluirá os níveis de farelo de glúten de milho como efeito fixo. Será utilizado a opção CONTRAST do SAS para avaliar os efeitos linear, quadrático e cúbico. As médias serão comparadas pelo teste de Tukey sendo considerados efeitos significativos valores de P<0,05. (AU)