Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise proteômica e peptidômica do efeito da peçonha de serpentes sobre linhagens celulares de câncer e tecidos cerebrais de camundongos

Processo: 18/16553-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Pesquisador responsável:Leo Kei Iwai
Beneficiário:Stephanie Santos Suehiro Arcos
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/17943-6 - Análise proteômica e peptidômica do efeito da peçonha de serpentes sobre linhagens celulares de câncer e tecidos cerebrais de camundongos, AP.R
Assunto(s):Neoplasias   Proteômica   Desenvolvimento de fármacos   Venenos de serpentes   Modelos animais

Resumo

Substâncias tóxicas e secreções de animais como serpentes, aranhas e escorpiões têm sido utilizadas na medicina tradicional para o tratamento de diversas doenças. Apesar da dificuldade e o alto risco econômico inerente na descoberta e desenvolvimento de novas drogas a partir de produtos naturais, o desenvolvimento e avanço rápido de tecnologias tais como o proteoma baseado em espectrometria de massas tem permitido avançar na caracterização mais focada para a determinação de alvos moleculares chave em diversas doenças. Existem na literatura diversos trabalhos descrevendo análises e caracterizações bioquímicas e fisiológicas do efeito da peçonha de serpentes em órgãos, tecidos e células mostrando seus efeitos tóxicos, citotóxicos e indução de mudanças e desequilíbrios bioquímicos, porém, são poucos ou quase inexistentes trabalhos caracterizando o perfil proteômico e peptidômico do efeito da peçonha em linhagens celulares, órgãos e tecidos que visem avaliar em detalhe alvos moleculares afetados e correlacionarem com esses efeitos fisiológicos. Baseado na hipótese de que concentrações baixas ou sub-letais de peçonha de serpentes são capazes de modular a expressão de determinadas proteínas em células e no tecido cerebral, este projeto visa caracterizar o perfil proteômico e peptidômico comparativo de diferentes linhagens celulares tumorais (MCF7, MDA-MB231, A204, SK-MEL-28, HeLa, PANC-1 e Y1) e normais (HEK293, AsPC-1, HACAT e Y1-RasKO) tratados ou não com peçonha de Bothrops jararaca e diferentes tecidos cerebrais (córtex, cerebelo, hipocampo, hipotálamo e corpo estriado) de camundongos tratados ou não com peçonha de Crotalus durissus terrificus e correlacionar com dados morfológicos celulares e histológicos cerebrais dos danos causados pela peçonha. Esses dados poderão sugerir novos alvos farmacológicos e novas abordagens terapêuticas (i.e. dirigidas aos alvos proteicos inicialmente afetados pelo envenenamento) para o tratamento do envenenamento pelas peçonhas estudadas.