Busca avançada
Ano de início
Entree

Umberto Eco, Número Zero e o jornalismo no século XXI

Processo: 18/04748-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Comunicação - Jornalismo e Editoração
Pesquisador responsável:Osvando José de Morais
Beneficiário:Tatiany Cristina Oliveira Garcia
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Hermenêutica   Teoria da comunicação   Ideologia   Jornalismo   Crítica jornalística   Jornalismo cultural

Resumo

Tem-se como proposta repensar o jornalismo a partir da crítica feita pelo filósofo e linguista Umberto Eco em sua obra, publicada em 2015, Número Zero. O autor, em sua trajetória, foi um estudioso crítico da mídia e entre outras especialidades, um dedicado bibliófilo em todas as suas dimensões. Eco fez nesta obra um panorama contundente do fazer jornalístico atual, tendo como base o jornalismo tradicional, com a tentativa de buscar ou chegar o mais próximo possível do conceito de verdade, contrapondo-se na atualidade às novas práticas jornalísticas, como por exemplo, o Fake News e Agenda Setting. No entanto, os padrões de manipulação da imprensa, como lembra Perseu Abramo, tais como ocultação, fragmentação, inversão e indução sempre estiveram presentes no jornalismo. Nosso propósito de discutir o jornalismo atual a partir da obra de Umberto Eco justifica-se, pois embora o romance tenha sido publicado em 1992, o autor antecipa muitos destes fenômenos jornalísticos hoje. Deste modo, o objetivo maior deste trabalho é analisar as contribuições críticas de Umberto Eco, não somente como crítico e pensador de mídia, mas também como Filósofo e Semioticista, que muito contribuiu para os estudos da comunicação. Impossível deixar de analisar este projeto sem o conceito de ideologia que, como instrumento de estudos possibilita fazer uma relação entre a obra do autor italiano e o jornalismo atual. Os instrumentos metodológicos terão como referência básica, principalmente, o romance de ficção, Número Zero e outros textos essenciais do autor que embasam as discussões sobre as novas práticas jornalísticas e os novos conceitos. Pretende-se incluir as correntes teóricas da comunicação que poderão dialogar com algumas ideias de Umberto Eco. Uma última indagação, não menos importante que incluímos no projeto: Seria possível fazer uma análise do romance Número Zero, considerando-o como jornalismo cultural?

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: