Busca avançada
Ano de início
Entree

Programação de FPGA para integração do SAMPA no Scalable Readout System

Processo: 18/16314-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2018
Vigência (Término): 31 de maio de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física Nuclear
Pesquisador responsável:Marcelo Gameiro Munhoz
Beneficiário:Cesar Giacomini Penteado
Instituição-sede: Instituto de Física (IF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/04583-8 - Física nuclear de altas energias no RHIC e LHC, AP.TEM
Assunto(s):Instrumentação   Física de alta energia   Detecção de partículas   Sistema de aquisição de dados   Front-end

Resumo

A colaboração do RD51 do CERN surgiu em 2008 com o objectivo de potenciar e disseminar a pesquisa em Detectores Gasosos Baseados em Microestruturas (MPGD - do inglês Micropattern Gaseous Detectors). Esta colaboração internacional que conta com a participação de 90 instituições de 25 países diferentes na Europa, América e Ásia tem servido de motor para o desenvolvimento deste tipo de detectores que, tendo conquistado notoriedade em aplicações à Física de Altas Energias, têm mostrado um desempenho competitivo em aplicações que recorrem à imagem de raios X e de neutrões. No âmbito desta colaboração foi desenvolvido no CERN o Scalable Readout System (SRS), um sistema de aquisição de dados dedicado a estes detectores com o objectivo de padronizar a electrónica nos diversos laboratórios, com a possibilidade de aumentar com facilidade a escala dos experimentos, para além de permitir uma interface simples de diferentes ASICs com a electrónica de front end. O HEPIC@USP desenvolveu ao longo dos últimos anos o chip SAMPA, que vai ser utilizado nos GEMs que vão substituir as câmaras multifilares dos planos de leitura da Câmara de Projecção Temporal do experimento ALICE no CERN. Apesar de ter sido desenvolvido para este experimento, o SAMPA tem uma versatilidade que permite a sua utilização não só em GEMs, mas nos outros tipos de MPGD. O SRS é uma oportunidade valiosa para disseminar o SAMPA pela comunidade científica que se dedica à pesquisa com MPGD, já que permite a implementação deste ASIC usando a electrónica de front-end comum, sendo necessário apenas a programação adequada da sua FPGA, que processará os dados provenientes da placa que integra o chip.