Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação variantes genéticas relacionadas à predisposição a câncer em coorte de pacientes com tumores embrionários e tumores pediátricos com sinais clínicos adicionais

Processo: 18/05961-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2018
Vigência (Término): 30 de novembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Ana Cristina Victorino Krepischi
Beneficiário:Anne Caroline Barbosa Teixeira
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/08028-1 - CEGH-CEL - Centro de Estudos do Genoma Humano e de Células-Tronco, AP.CEPID
Assunto(s):Câncer infantil

Resumo

Tumores pediátricos são intrinsecamente diferentes de tumores em adultos, sendo o câncer na infância indissociável dos processos de diferenciação celular e organogênese. As causas da maioria dos canceres pediátricos são desconhecidas e não há associação importante com fatores de risco ambientais; portanto, nada pode ser feito para prevenção. Leucemias, linfomas e tumores de sistema nervoso central são as neoplasias mais frequentes em crianças, mas a maioria dos outros tumores sólidos é menos estudada, porque são raros dentre os tumores pediátricos em geral. Um dos grandes desafios da pesquisa biomédica é associar variantes genéticas humanas a características fenotípicas. Variações genéticas raras e comuns influenciam a suscetibilidade ao câncer, não apenas nas síndromes de predisposição a câncer (causadas por mutações raras com alta penetrância), mas também na suscetibilidade a neoplasias esporádicas (combinação de variantes de risco baixo a moderado). A prevalência e o espectro de genes mutados na predisposição a câncer entre crianças e adolescentes permanecem pouco explorados. Nesse contexto, nosso projeto visa estudar as variantes genéticas que estão associados ao desenvolvimento de câncer pediátrico, em especial em tumores embrionários do tipo hepatoblastoma e pacientes com tumores pediátricos e sinais clínicos adicionais. Como abordagem, será feita investigação de alterações de número de cópias por array-CGH e sequenciamento completo de exoma de coorte de pacientes afetados por neoplasias pediátricas, visando a identificação e caracterização do espectro de variantes genéticas germinativas associadas à predisposição ao câncer.