Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de um protocolo de fadiga específico para handebol no controle postural semiestático de atletas de handebol

Processo: 18/20362-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2018
Vigência (Término): 30 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Paulo Roberto Pereira Santiago
Beneficiário:Dayanne Rodrigues Pereira
Instituição-sede: Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Biomecânica   Controle postural   Propriocepção   Equilíbrio   Fadiga   Handebol   Atletas   Mulheres   Frequência cardíaca

Resumo

Introdução: O controle postural ou equilíbrio é um estado de estabilidade em que não ocorre aceleração ou desaceleração do movimento corporal, caracterizado por manter a projeção vertical do centro de gravidade dentro das margens da base de apoio. Sua manutenção é dependente do funcionamento adequado e da integração dos sistemas visual, vestibular e proprioceptivo. Por sua vez, a fadiga é caracterizada como a incapacidade aguda no desempenho muscular e afeta significativamente o limiar de detecção do movimento do sistema proprioceptivo das articulações, diminuindo a capacidade de reprodução do movimento por meio da perda de eficiência dos receptores musculares ou da diminuição da função muscular, interferindo diretamente no controle postural, levando a uma maior probabilidade de lesões em atletas de handebol, principalmente do sexo feminino. Objetivo geral: Verificar o efeito de um protocolo de fadiga específico de handebol no controle postural de atletas do sexo feminino. Materiais e métodos: Trata-se de um estudo quantitativo, transversal e de corte longitudinal que abrange oito semanas de treinamento preventivo em 20 atletas de handebol universitário, do sexo feminino, que não tenham passado por nenhuma cirurgia de membros inferiores (MMII). Serão avaliados o controle postural semi-estático, e o salto vertical máximo após as execuções do protocolo de fadiga. O salto vertical máximo será mensurado sob uma plataforma Bertec (tamanho: 40 x 60 cm) (Columbus, OH, EUA) operando na frequência 2000 Hz. O protocolo de fadiga conterá ações características da prática do handebol, como sprints, saltos, corrida lenta, corrida de costas e mudança de direção. Ao fim volta no circuito será verificada a frequência cardíaca, quantificada por meio de um frequencímetro, e a percepção subjetiva de esforço (BORG 0-20). A situação de fadiga será caracterizada como a falta de manutenção da velocidade e/ou a diminuição de 30% da contração voluntária máxima realizada no início do protocolo. Será calculado o deslocamento do centro de pressão. Todo o processamento de dados será realizado por rotinas elaboradas em ambiente Matlab®.