Busca avançada
Ano de início
Entree

Métodos comparativos filogenéticos em corais pétreos: uma abordagem pluralística para a investigação da evolução ecofisiológica e tolerância às mudanças climáticas

Processo: 18/21670-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 15 de outubro de 2019
Vigência (Término): 14 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Fisiologia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Carlos Arturo Navas Iannini
Beneficiário:Samuel Coelho de Faria
Supervisor no Exterior: Theodore Garland Jr
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Local de pesquisa : University of California, Riverside (UCR), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:17/05310-9 - Uma fisiologia comparativa às causas da conservação de recifes de coral: plasticidade trófica dirige tolerância às mudanças climáticas?, BP.PD
Assunto(s):Mudança climática   Simbiose   Filogenia

Resumo

A diversidade fisiológica atual reflete um recorte temporal de toda a história da vida, e as espécies que hoje são reconhecidas como unidades aparentemente discretas representam, de fato, um contínuo de formas e funções biológicas ligadas umas às outras através do tempo e espaço. Espécies filogeneticamente próximas mostram-se mais semelhantes devido à recente divergência no tempo, enquanto aquelas mais distantes tendem a compartilhar dissimilaridades funcionais. Segue que muitas das características fisiológicas observadas nas espécies viventes podem ser uma herança direta dos ancestrais compartilhados, sem que haja uma razão ambiental ad hoc. Assim, o processo evolutivo gera duas repercussões estatísticas fundamentais na avaliação comparativa da fisiologia: a não configuração de 'espécies' como unidades estatisticamente independentes, e a correlação entre fisiologia e padrões históricos de especiação. Na estatística tradicional aplicada a estudos comparativos, infla-se o número correto de graus de liberdade e se negligencia a correlação intrínseca entre os dados. Assim, as filogenias devem ser formalmente incorporadas para a correção estatística adequada em avaliações interespecíficas, como também para prover novos horizontes em biologia evolutiva. Assim, os objetivos principais deste estágio pós-doutoral são: primeiramente, aprimorar minhas habilidades no tocante dos métodos comparativos filogenéticos com o Prof. Dr. Theodore Garland, ampliando minha maturidade e sofisticação na área; e segundo, utilizando tais novos e modernos métodos, avaliar os dados ecofisiológicos dos corais associados aos meus períodos de pós-doutorado (FAPESP #2017/05310-9 e BEPE #2018/17252-6) para testar hipóteses relativas à evolução de funções biológicas e à sensibilidade filogenética dos corais às mudanças climáticas. Após este "treinamento filogenético", espero poder contribuir para a divulgação dessa fisiologia '(r)evolucionária' nas investigações brasileiras, reforçando essa abordagem epistemológica no campo da fisiologia comparada.