Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da associação da terapia celular e treino de baixa intensidade no músculo distrófico de camundongo MDX

Processo: 18/11752-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Carlos Eduardo Ambrósio
Beneficiário:Priscilla Avelino Ferreira Pinto
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Assunto(s):Terapia baseada em transplante de células e tecidos   Treinamento físico   Distrofia muscular de Duchenne   Citocinas   Imuno-histoquímica   Reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa quantitativa (qRT-PCR)   ELISA em animal   Modelos animais

Resumo

A Distrofia Muscular de Duchenne é uma doença genética, caracterizada pela ausência total da proteína distrofina, que leva a degeneração muscular progressiva e processo inflamatório crônico. Avanços com a terapia celular têm sido realizados, no entanto, a viabilidade das células tem sido limitada por presença de fibrose muscular e processo inflamatório. Outra terapia utilizada tem sido o treinamento físico de baixa intensidade (LIT), sendo capaz de reduzir processo inflamatório e fibrose muscular. Deste modo, este estudo objetiva avaliar o efeito da associação da terapia celular com LIT no músculo distrófico de camundongos mdx. O projeto será realizado em três etapas. Etapa 1: Será desenvolvido um protocolo de cultivo celular de mesoangioblastos (MAB) derivado de saco vitelino canino e comparado com MAB derivado de músculo. Etapa 2: Será avaliado a viabilidade das células-tronco in vivo, com aplicação em camundongo mdx e wild-type. Etapa 3: Será associado a terapia celular e LIT realizado em esteira horizontal em camundongos MDX. São realizados testes funcionais e ao final do protocolo terapêutico os animais serão eutanasiados e os músculos tibial cranial, gastrocnêmio, diafragma e o coração serão dissecados. Será realizada análise histológica e histomorfométrica, analise da distrofina muscular por imuno-histoquímica e expressão gênica por RT-qPCR. Além disso, será realizada análise das citocinas inflamatórios por método ELISA e expressão gênica de marcadores ligados a regeneração muscular e citocinas inflamatórias por RT-qPCR. Os resultados serão analisados por estatística descritiva e testes de comparação de médias dos grupos. (AU)