Busca avançada
Ano de início
Entree

Destino do nitrogênio aplicado ao milho safrinha e seu efeito na soja cultivada em seguida

Processo: 18/15867-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Ciro Antonio Rosolem
Beneficiário:Bruno Gazola
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/50305-8 - A virtual joint centre to deliver enhanced nitrogen use efficiency via an integrated soil-plant systems approach for the UK & Brazil, AP.TEM
Assunto(s):Fertilidade do solo   Milho   Soja   Capim braquiária   Nitrogênio   Nitrificação   Lixiviação do solo   Óxido nitroso   Reação em cadeia da polimerase em tempo real   Análise de variância

Resumo

Algumas forrageiras do gênero Urochloa podem inibir o processo de nitrificação no solo. Como consequência, pode ocorrer redução nas perdas de N do sistema solo-planta por lixiviação e desnitrificação e a manutenção do N mineral na forma de amônio (NH4+) pode favorecer a absorção do nutriente pelo milho (Zea mays L.). Quando o milho safrinha é cultivado em rotação com a soja, embora possa haver resposta da soja [Glycine max (L.) Merrill] ao N aplicado ao milho, isto não está demonstrado, e não se sabe se é resposta ao N aplicado ou à melhoria do sistema. Objetiva-se estudar se o cultivo de forrageira tropical em consórcio com o milho reduz a nitrificação no solo e aumenta a recuperação do 15N-fertilizante pelo milho (segunda safra) e seu residual pela soja (safra). Será realizado um experimento em condições de campo de 2018 a 2021. Os tratamentos serão um controle sem forrageiras, cultivo de braquiária ruziziensis (U. ruziziensis) e capim Tanzânia (Megathyrsus maximum), e doses de N aplicadas no milho (0, 80, 160 e 240 kg ha-1 N). As forrageiras serão cultivadas por sete meses, com posterior semeadura da soja, seguido de milho, na safra 2018/2019. Nas safras seguintes, a sequência de rotação será soja-milho, sendo o milho cultivado em consórcio com as espécies forrageiras. Será avaliada a produção de biomassa e acúmulo de N pelas culturas, assim como a recuperação do 15N-fertilizante. As emissões de amônia e óxido nitroso, além da lixiviação de nitrato serão avaliadas ao longo do experimento. Também será determinada a taxa bruta de amonificação e nitrificação e PCR em tempo real (qPCR) de genes para desvendar o efeito das forrageiras no ciclo do N no solo. Os dados coletados serão submetidos à ANOVA e as médias separadas pelo teste LSD de Fisher (P d 0,05). (AU)