Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação da atividade neutralizante e o perfil de glicosilação dos anticorpos IgG induzidos por esquema de vacinação à raiva humana

Processo: 18/17580-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2018
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Pesquisador responsável:Sandriana dos Ramos Silva
Beneficiário:Gabriela Koike
Instituição-sede: Instituto Pasteur (IP). Coordenadoria de Controle de Doenças (CCD). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Vacinas   Raiva (doença infecciosa)   Glicosilação   Imunoglobulina G   Anticorpos neutralizantes   Cromatografia de afinidade

Resumo

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a raiva é responsável por cerca de 55 mil mortes anualmente e até o momento, a profilaxia é a medida indicada para prevenção da doença. Atualmente, vacinas contra a raiva consistem de vírus inativados replicados em linhagens celulares contínuos, aplicadas segundo o protocolo recomendado pela OMS. Em geral, o princípio imunológico envolvido é a produção de anticorpos IgG neutralizantes. Trabalhos prévios têm focado no estudo da resposta humoral contra o vírus da raiva apenas no aspecto quantitativo, entretanto, como os anticorpos específicos neutralizam o vírus da raiva ainda não é UM mecanismo completamente compreendido. Sabe-se que além da neutralização, os anticorpos medeiam uma variedade de outras funções efetoras importantes para eliminação de patógenos e que dependem do recrutamento de células do sistema imune inato por meio de receptores específicos à região Fc do anticorpo. Além disso, sabe-se que a glicosilação do anticorpo exerce papel fundamental na manutenção da estrutura conformacional, funções efetoras e farmacocinética da glicoproteína. Recentemente, tem sido demonstrado que a imunização é capaz induzir anticorpos específicos com similar padrão de glicosilação, sugerindo que o processo de glicosilação, não é apenas programado, mas pode ser manipulado por diferentes sinais inflamatórios durante a ativação de linfócitos B. Considerando o exposto, o presente projeto tem como objetivo comparar a atividade neutralizante e o perfil de glicosilação dos anticorpos IgG específicos após esquema de vacinação de pré exposição à raiva humana. Espera-se com o desenvolvimento desse trabalho contribuir com informações sobre a qualidade funcional dos anticorpos neutralizantes obtidos após esquema vacinais, que podem ser relevantes para o desenvolvimento de novos compostos biotecnológicos com aplicação terapêutica.