Busca avançada
Ano de início
Entree

Aplicação do método GPR na avaliação do risco de queda de árvores

Processo: 18/23716-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência (Início): 01 de novembro de 2018
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Pesquisador responsável:Marcelo Martinatti
Beneficiário:Marcelo Martinatti
Empresa:Kerno Geo Soluções Ltda
CNAE: Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais
Vinculado ao auxílio:17/22855-9 - Avaliação não destrutiva de árvores em ambiente urbano através da combinação dos métodos da eltrorresistividade e ground penetrating radar, AP.PIPE
Assunto(s):Avaliação de risco   Árvores   Radar de penetração no solo   Ambientes urbanos   Resistividade elétrica   Desenvolvimento de software   Aplicativos móveis   Android

Resumo

Atualmente não existem critérios estabelecidos para o correto diagnóstico da condição de saúde ou risco de queda de árvores. Muitos dos métodos disponíveis adotados no Brasil para tais análises partem de avaliações invasivas (penetrógrafo) ou apenas visuais, acarretando em decisões equivocadas quanto ao manejo de árvores em situação de risco. O presente projeto almeja uma significativa contribuição para a área, propondo uma nova metodologia de avaliação e interpretação nessas análises, com a utilização do método geofísico de GPR (Ground Penetrating Radar). O método GPR utiliza o princípio da reflexão de ondas eletromagnéticas em alta frequência, possibilitando a obtenção de uma imagem de alta resolução do interior do tronco e das raízes, de forma não invasiva. Dessa forma pode indicar cavidades e outros defeitos, bem como o sistema radicular em diferentes profundidades, imageando a condição e distribuição espacial das raízes sob o solo. Tal metodologia nunca foi aplicada a este tipo de estudo, de modo que planeja-se realizar diferentes testes para determinar o melhor modo de aquisição de dados, assim como identificar e diferenciar os padrões de anomalias encontradas nas amostras testadas. Os testes de avaliação serão realizados em amostras de árvores obtidas na Xiloteca SPFw do Instituto de Biociências da USP, bem como em árvores de diferentes espécies no campus da universidade. A partir dos resultados, será desenvolvido um aplicativo em ambiente Android para a análise e interpretação dos dados diretamente em campo, com a formação de um banco de dados para monitoramento futuro. Nesse contexto o método GPR demonstra potencial para ser uma ferramenta de uso prático e que pode ser integrada com outros tipos de análise, melhorando a interpretação da integridade do tronco e raízes de árvores em ambientes urbanos. (AU)