Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de biópsias líquidas baseadas no sequenciamento do ctDNA para a detecção de doença residual em pacientes com câncer de reto localmente avançado após quimioradioterapia neoadjuvante (nQRT)

Processo: 18/23531-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 26 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 25 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Anamaria Aranha Camargo
Beneficiário:Franciele Hinterholz Knebel
Supervisor no Exterior: Marco Gerlinger
Instituição-sede: Hospital Sírio-Libanês. Sociedade Beneficente de Senhoras (SBSHSL). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Institute of Cancer Research (ICR), Inglaterra  
Vinculado à bolsa:15/16854-4 - Estudo e detecção de alterações genéticas associadas à resistência adquirida à terapia anti-EGFR no DNA tumoral circulante de pacientes com câncer de cólon e pulmão, BP.PD
Assunto(s):Células neoplásicas circulantes

Resumo

Monitoramento e detecção de alterações genéticas associadas à resistência adquirida à terapia alvo anti-EGFR no ctDNA de pacientes com câncer de pulmão e cólonO Receptor do Fator de Crescimento Epidérmico (EGFR) foi o primeiro receptor a ser proposto como alvo para a terapia do câncer após duas décadas de intensas investigações. Terapias anti-EGFR são usadas na clínica para tratar câncer de pulmão não pequenas células (CPNPC) e câncer colorretal metastático (mCCR). Inibidores tirosina quinase (ITKs) - Gefitinib, Erlotinibe, Afatinibe e Osimertinibe - são usados para tratar pacientes com câncer de pulmão não pequenas células (CPNPC) com mutações ativadoras no EGFR, enquanto anticorpos monoclonais anti-EGFR - Cetuximabe e Panitumumabe - são usados para o tratamento de mCCR com status KRAS tipo selvagem. Embora esses agentes apresentem uma boa taxa de resposta e ganhos importantes na sobrevida livre de progressão e sobrevida global, invariavelmente os pacientes desenvolvem resistência adquirida (RA), levando à progressão da doença (PD). Neste estudo, estamos usando biópsias líquidas seriadas e PCR digital em gotas (ddPCR) para monitorar a evolução clonal de alterações genéticas conhecidas associadas a RA a agentes anti-EGFR em CPNPC e mCCR. Também pretendemos caracterizar novas alterações genéticas associadas à resistência adquirida à terapia anti-EGFR através do sequenciamento direto do ctDNA de pacientes com CPNPC e CCR que apresentaram progressão da doença durante terapia anti-EGFR. Um total de 36 pacientes com CPNPC e 15 pacientes com mCCR foram incluídos em nosso estudo. Pacientes com CPNPC apresentaram EGFR T790M como principal mecanismo de resistência associado ao uso de erlotinibe, gefitinibe e afatinibe, enquanto EGFR C797S e amplificação de EGFR-exon19del foi observada em um paciente que progrediu ao osimertinibe. Em mCCR, mutações KRAS foram observadas em 2 pacientes que apresentaram PD. Não foi possível identificar mutações conhecidas associadas à resistência adquirida à terapia anti-EGFR para uma fração significativa de pacientes com CPNPC e mCCR que tiveram PD. O sequenciamento do ctDNA é uma ferramenta poderosa para identificar e caracterizar novos mecanismos moleculares de resistência adquirida à terapia alvo, entretanto, seu uso é limitado pelas baixas concentrações de ctDNA no plasma de pacientes com câncer e a alta taxa de erro de seqüenciamento das atuais plataformas. Para superar essas limitações, o grupo do Dr. Gerlinger desenvolveu recentemente um protocolo de seqüenciamento de supressão de erros usando códigos de barras moleculares e um pipeline de bioinformática para a identificação de mutações somáticas que ocorrem em baixas concentrações no ctDNA de pacientes com câncer. A colaboração com o grupo do Dr. Gerlinger nos permitirá aprender e aplicar essa estratégia de sequenciamento para investigar novos mecanismos de resistência adquirida aos ITKs anti-EGFR em nossos pacientes.