Busca avançada
Ano de início
Entree

Um teste para a conexão Amazônia-Oeste África: novos pólos paleomagnéticos para Oeste África

Processo: 18/23755-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geofísica
Pesquisador responsável:Ricardo Ivan Ferreira da Trindade
Beneficiário:Paul Yves Jean Antonio
Supervisor no Exterior: Lenka Baratoux
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université Paul Sabatier - Toulouse III, França  
Vinculado à bolsa:17/18840-6 - Um teste para a conexão Amazônia-Oeste África e os eventos de deriva polar verdadeira durante o Neoproterozóico, BP.PD
Assunto(s):Paleomagnetismo   Geocronologia   Neoproterozoico   África Ocidental

Resumo

O Neoproterozóico (1000-541 Ma) é um período de significativo na história da Terra, onde ocorrem importantes mudanças biológicas entre um mundo Precambriano microbiano, a revolução biológica do Ediacarano e o aparecimento dos primeiros organismos multicelulares. Paralelamente, este período é marcado por uma importante reorganização paleogeográfica (transição Rodinia-Gondwana) e por eventos climáticos extremos (Snowball Earth events). Em função da escassa base de dados paleomagnética para os diferentes blocos continentais, a configuração paleogeográfica para esta época é controversa. A Amazonia e o craton Oeste Africa, duas das mais importantes peças da América do Sul e da Africa, são alguns dos blocos com menos dados disponíveis. Embora tenham sido classicamente relacionados com base em suas similaridades geológicas, esta conexão entre 1000-600 Ma não é possível de ser testada hoje. Novos dados paleomagnéticos estão sendo obtidos como parte do projeto de pós-doutorado Fapesp (2017/18840-6) na Amazonia. Este BEPE tem como objetivo a coleta e análise de dados de amostras do Craton Oeste Africa. Ele será executado no GET-Toulouse em colaboração com o time de pesquisadores do IRD (Sonia Rousse e Lenka Baratoux) e prevê a coleta de diques que serão caracterizados em sua geocronologia e petrologia. A missão de campo está planejada para Março de 2019 para os seguintes alvos: (1) diques de Oda, de ~915 Ma (2) diques Manso, de ~870 Ma. Estes novos dados permitirão testar a conexão Amazonia-Oeste Africa e a posição destes continentes no supercontinente Rodinia. (AU)