Busca avançada
Ano de início
Entree

Abordagens ecológicas para avaliação dos efeitos da urbanização sobre aves e processos ecológicos

Processo: 18/22215-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 20 de março de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Milton Cezar Ribeiro
Beneficiário:João Carlos de Castro Pena
Supervisor no Exterior: Ian Macgregor Fors
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Local de pesquisa : Instituto de Ecología (INECOL), México  
Vinculado à bolsa:18/00107-3 - Avaliação do risco de predação de insetos em paisagens urbanas em uma escala continental: uma rede de pesquisa colaborativa, BP.PD
Assunto(s):Mata Atlântica

Resumo

Este é o projeto de pesquisa para o estágio a ser realizado no Instituto de Ecologia A.C. (Xalapa, Veracruz, México) pelo bolsista de pós-doutorado João Carlos de Castro Pena. Durante o estágio, o pesquisador desenvolverá projetos inovadores, incluindo um estudo piloto relacionado ao seu projeto no Brasil (FAPESP processo 2018/00107-3, projeto "A continental scale assessment of predation risk on insect prey in urban landscapes: a collaborative research network"), em colaboração com dois pesquisadores, Ian MacGregor-Fors (com grande experiência em pesquisa ecológica urbana em cidades neotropicais) e Wesley Dáttilo (com grande experiência no uso de modelos de lagartas de lepidópteros para testar influências de aspectos ambientais no risco de predação e composição de predadores). Usando informações dos datapapers da Ecology Atlantic Series, avaliaremos as influências da expansão urbana sobre características taxonômicas e funcionais da comunidade de aves da Mata Atlântica. Também vamos desenvolver o estudo piloto em Xalapa, distribuindo quase 1500 modelos de lagartas (com cores diferentes) em 18 locais de amostragem que compreendem um gradiente de cobertura vegetal (de 5 a 100%). Para cada local estão disponíveis informações sobre 14 variáveis (atributos da vegetação e impactos urbanos) e dados sobre diferentes grupos de espécies animais. O estágio gerará insights sobre como a expansão urbana está afetando a biodiversidade e os processos ecológicos no bioma Mata Atlântica. Além disso, poderemos entender melhor as relações entre as características da vegetação urbana e o risco de predação e a composição de predadores. O estudo piloto auxiliará na definição de pontos importantes da metodologia a ser aplicada na rede de pesquisa brasileira, como cor e número de modelos de lagarta, e na produção das diretrizes a serem utilizadas pelas equipes colaboradoras. A partir deste estágio, esperamos, além do fortalecimento das relações entre pesquisadores nacionais e estrangeiros, um considerável desenvolvimento científico que gerará dois manuscritos para serem submetidos a periódicos de alto impacto.