Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação da termoluminescência de alexandrita para aplicações na área de dosimetria

Processo: 18/22179-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2018
Vigência (Término): 30 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Minas - Pesquisa Mineral
Pesquisador responsável:Neilo Marcos Trindade
Beneficiário:Stephanie Lins Dardengo Cavalcanti
Instituição-sede: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Dosimetria   Minerais   Alexandrita   Termoluminescência

Resumo

Alexandrita é um mineral da variedade crisoberilo que contém cromo em sua estrutura, possuindo a seguinte composição química: BeAl2O4:Cr3+. O Brasil é considerado atualmente o maior produtor mundial de alexandrita; porém, ainda é uma gema pouco conhecida quanto as suas propriedades físicas. O objetivo da pesquisa é investigar os efeitos de radiação ionizante beta em alexandrita utilizando técnica de Termoluminescência (TL). Estudos preliminares mostraram que alexandrita exibe três picos TL de baixa intensidade ao redor de 80, 130, 160 oC e dois picos de alta intensidade em 260 e 305 oC (1 oC/s). Os resultados obtidos até o momento em amostras brutas mostraram que o sinal TL variou linearmente com a dose de irradiação, e que o sinal TL foi estável em temperatura ambiente após a exposição à irradiação, demonstrando o potencial de uso da alexandrita para dosimetria. Pretende-se investigar o comportamento cinético dos picos TL por meio de métodos como taxa de aquecimento variável, ajuste de curva utilizando programa de analises GlowFit, Tm-Tstop e Tm-dose; obtendo-se dados como energia e fator de frequência. Acredita-se que as impurezas, principalmente o Cr3+ e Fe3+, têm um papel importante nessas características. A composição química das amostras será obtida pela técnica de fluorescência de raios X e as transições eletrônicas serão verificadas por meio de absorção óptica na região do visível. A pesquisa será realizada em colaboração com a Universidade de São Paulo.