Busca avançada
Ano de início
Entree

Sob os Santos Óleos, a conquista da liberdade: as alforrias de pia nos registros de batismo de Campinas, 1774-1871

Processo: 18/19162-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Ricardo Figueiredo Pirola
Beneficiário:Talison Mendes Picheli
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/21979-5 - Entre a escravidão e o fardo da liberdade: os trabalhadores e as formas de exploração do trabalho em perspectiva histórica, AP.TEM
Assunto(s):Liberdade   Escravidão   Século XIX

Resumo

Este projeto de pesquisa tem como objetivo fazer um estudo a respeito das alforrias de pia batismal em Campinas, entre os anos de 1774 e 1871, partindo dos livros paroquiais de batismo da freguesia de Nossa Senhora da Conceição e cruzando-os com outras fontes documentais, quais sejam: censos populacionais, testamentos e inventários post-mortem, registros de matrimônio e cartas de alforria. Pretende-se, com esse tipo de abordagem, ampliar as perspectivas acerca do tema da conquista da liberdade pelos escravos, por meio de um trabalho quantitativo e também qualitativo, uma vez que as alforrias de pia são pouco utilizadas pela historiografia. Dessa forma, esta pesquisa tem como intenção verificar os padrões e movimento das alforrias ao longo do tempo, examinar o perfil dos alforriados (bem como de outras pessoas envolvidas no processo) e reconstruir as trajetórias, experiências e estratégias adotadas por pais e mães escravizados na constituição de vínculos sociais com sujeitos que fossem capazes de lhes oferecer auxílio na vida em cativeiro e que podem, por isso mesmo, ter contribuído para a libertação de seus filhos durante a cerimônia católica do batismo. Espera-se, assim, trazer novos aspectos das relações estabelecidas entre os cativos e outros indivíduos, avançar na compreensão dos significados atribuídos ao fenômeno da manumissão pelos múltiplos personagens nele imersos e contribuir para os principais debates em pauta na historiografia tanto das alforrias como da própria escravidão no Brasil. Vale destacar, por fim, que este trabalho está vinculado ao Projeto Temático intitulado "Entre a escravidão e o fardo da liberdade: os trabalhadores e as formas de exploração do trabalho em perspectiva histórica", coordenado pelo Centro de Pesquisa em História Social da Cultura (CECULT), do IFCH/UNICAMP.